Províncias

Crianças aprendem mais próximo de casa

António Capitão | Uíge

Mais de 2.160 crianças e adolescentes do bairro Bem-Vindo, na periferia da cidade do Uíge, deixaram de percorrer longas distâncias para ter acesso à escola de bairros vizinhos, que ficam a nove quilómetros da sua localidade, com a inauguração de duas escolas pelo governador provincial Paulo Pombolo.

Comunidade da periferia deixa de percorrer longas distâncias para terer acesso à escola
Fotografia: Mavitidi Mulaza|Uíge

As infra-estruturas escolares, com 12 salas de aula cada, vão assegurar o processo de ensino e aprendizagem de alunos do ensino primário, I e II ciclos do ensino secundário.As escolas, que dispõem de gabinetes administrativos, salas para professores e balneários, entre outros compartimentos, enquadram-se no programa do Governo de expansão dos serviços do ensino e aproximação das infra-estruturas escolares à população.
O governador reconheceu que aquela comunidade vivia uma gritante carência de salas de aula. “Muitos tinham de acordar antes das cinco horas, para não atrasarem nas aulas, uma vez que estudavam longe de casa”, referiu o responsável.
Para acabar com este cenário, o governador provincial disse que as autoridades, no âmbito da visão de que só com pessoas formadas se pode assegurar um futuro melhor para o país, vão continuar a construir escolas em todos os bairros periféricos da cidade.Em nome das crianças do bairro, a pequena Márcia Damariz enalteceu o empenho do Governo na materialização de projectos que ajudam a melhorar as condições de aprendizagem a nível da comunidade.
A menor solicitou que sejam construídas mais salas de aula, tendo em conta que na comunidade, com cerca de 21.614 habitantes, grande parte da sua população está em idade escolar. “Queremos que se acabe com todas as salas improvisadas em igrejas e sem as mínimas condições para os alunos e professores”, disse.
Além das escolas, no bairro Bem-Vindo, o governador Paulo Pombolo inaugurou, também, um centro de saúde. A unidade vai prestar serviços de medicina geral, análises clínicas, ginecologia e obstetrícia, consultas pré-natais, planeamento familiar e puericultura.
A infra-estrutura sanitária comporta uma recepção, consultórios, laboratório, salas de observação e de espera, gabinetes administrativos, casas de banho e um tanque reservatório para água.

Energia e vias de acesso


O secretário da regedoria do bairro Bem-Vindo, Joaquim Francisco, enalteceu a conclusão das obras das infra-estruturas sociais erguidas na localidade, daí considerar o feito como “verdadeiro ganho da paz.” O responsável solicitou que seja expandida a rede de distribuição de energia eléctrica, instalado um posto policial, alargadas e melhoradas as ruas e construída a ponte sobre o rio Candombe, tendo em conta a circulação deficitária de pessoas e bens na localidade.
O secretário da regedoria pediu ainda que fossem construídos espaços de recreação e de lazer para as crianças e jovens, com destaque para campos de futebol e quadras polidesportivas.
Além disso, a população pede ao Governo que oriente a empresa de recolha de resíduos sólidos e alargue a sua actuação para o bairro, uma vez que existem pequenos focos de lixo.
Em gesto de resposta, o governador Paulo Pombolo garantiu a instalação de um posto de transformação de mil kva, até ao final deste mês, no quadro da expansão das redes de distribuição domiciliar e pública.
O governador assegurou, igualmente, a contratação, nos próximos meses, de uma empresa para construir a ponte sobre o rio Candombe. “Esses dois compromissos com a população vamos resolver imediatamente”, disse.
Devido à actual conjuntura económica e financeira do país, Paulo Pombolo pediu algum tempo para se canalizar recursos para o alargamento de algumas ruas e asfaltagem da estrada principal do bairro.

Tempo

Multimédia