Províncias

Crianças da aldeia do Quiongua com melhores condições de ensino

O director da escola primária da aldeia Quiongua, Joaquim Benjamin Cogito, anunciou ontem que estão criadas as condições para a acomodação das crianças e melhoria do ensino naquela localidade.

Mais crianças vão aprender a ler
Fotografia: Jornal de Angola

O director da escola primária da aldeia Quiongua, Joaquim Benjamin Cogito, anunciou ontem que estão criadas as condições para a acomodação das crianças e melhoria do ensino naquela localidade.
Falando à Angop, informou que foram construídas dez novas salas de aula, elevando-as para 24, nas quais estão matriculados 538 alunos, “satisfeitos com o melhoramento das condições de ensino e aprendizagem na aldeia”.
 Reconheceu que, devido à escassez de salas de aula, apenas 500 alunos foram matriculados em 2009, contra os 538 inscritos no presente ano lectivo e referiu que as obras de construção destas infra-estruturas escolares estiveram a cargo do Gabinete Técnico de Gestão.
 “Neste momento, está resolvido o problema de transporte dos alunos que afligia os pais e encarregados de educação. Eles procuravam melhores escolas na cidade, percorrendo longas distâncias, muitas vezes a pé”.

Estudantes do Bembe clamam por bibliotecas

Os estudantes da escola pré-universitária (Puniv) e a juventude em geral do município do Bembe, 135 quilómetros a Norte da cidade capital da província do Uíge, necessitam de bibliotecas para facilitar a investigação das matérias científicas, visando garantir uma formação académica adequada.
 Em declarações prestadas terça-feira à Angop, o estudante da 11ª classe do Instituto Médio de Educação no Bembe, Mendonça António, disse que a falta de bibliotecas no município tem dificultado a investigação de determinados temas e a realização de trabalhos de interesse. “Devido à falta de bibliotecas, temos muitas dificuldades em investigar os temas que recebemos. Queremos bibliotecas com várias obras literárias e outros manuais que nos ajudem a aumentar os conhecimentos científicos e o nível intelectual”, disse.
 Orlando António, outro estudante da 12ª classe, reforçou que a presença de bibliotecas no município facilita o estudo e contribui para o aumento do nível intelectual de alunos e professores.
 Para o chefe da área municipal da Educação do Bembe, Muanda Wacobe, muitos alunos deslocam-se à capital da província para proceder à investigação de vários temas que têm a ver com a formação académica e pediu ao governo da província e às autoridades afins que encontrem uma solução para o problema, tendo em conta a necessidade de formar quadros com conhecimentos adequados.

Tempo

Multimédia