Províncias

Curso de Medicina recebe mais docentes

Valter Gomes | Uíge

O curso de Medicina, aberto na sexta-feira última, na Universidade Kimpa Vita (UNIKIVI), com sede na Província do Uíge, vai ser reforçado, ainda este mês, com  12 docentes provenientes de Cuba, anunciou o reitor da instituição académica.

Governador da província do Uíge participou na tradicional cerimónia de baptismo do caloiros da Universidade Kimpa Vita
Fotografia: Filipe Botelho

Carlos Diacanamua referiu que os professores cubanos vão chegar em breve ao país, para assegurar o funcionamento da Faculdade de Medicina, que este ano se encontra provisoriamente num dos blocos da Escola Superior Politécnica.
Carlos Diacanamua disse que este esforço visa completar as unidades orgânicas que compõem a VII Região Académica da Universidade Kimpa Vita, no sentido de fortalecer a formação de quadros nos vários domínios, criando possibilidades de diversificação da formação  nas diferentes especialidades. Carlos Diacanamua salientou que, para a materialização deste desafio, a universidade vai contar com o apoio do Instituto de Investigação Cubana. “A intenção é reforçar as capacidades interventivas e de prossecução dos objectivos definidos no Plano Estratégico de Desenvolvimento da Universidade Kimpa Vita 2014-2017”, disse.Com 60 estudantes matriculados, a Faculdade de Medicina da UNIKIVI vai formar quadros nas especialidades de Ginecologia, Cirurgia, Medicina Geral, Pediatria, Obstetrícia, Urologia, entre outros ramos das ciências médicas.
No próximo ano, o reitor a­vançou que as vagas para novos candidatos vão ser aumentadas, uma vez que o Governo Provincial, em colaboração com oMinistério do Ensino Superior, está a criar condições para a construção de mais salas e  laboratórios para as aulas práticas de Medicina.
Carlos Diacanamua espera que os futuros médicos em formação na instituição aceitem trabalhar nas localidades para as quais forem indicados, uma vez que a região precisa de muitos quadros para cobrir as insuficiências de especialistas e proporcionar melhores serviços de saúde.
O governador provincial do Uíge, Paulo Pombolo, reiterou o compromisso das autoridades provinciais continuarem a apoiar a formação de quadros, partindo da criação de condições infra-estruturais e da aquisição de equipamentos técnicos que garantam a formação integral dos cidadãos.

Governador reitera apoios

Paulo Pombolo afirmou que o arranque da Faculdade de Medicina na província vai responder aos inúmeros problemas que se verificam nas unidades sanitárias, devido à falta de médicos. “Queremos que esta unidade orgânica prime por um ensino assente na vigilância sanitária, melhorando a cooperação e mobilidade dos docentes a nível da região académica e a nível internacional, olhando para o enriquecimento dos recursos humanos, da investigação e produção científica”, disse. O governador reconheceu haver ainda algumas dificuldades relacionadas com a falta de salas de aulas, mas garantiu que há uma estratégia definida pelo Governo Provincial, em colaboração com a Universidade Kimpa Vita e o ISCED (Instituto Superior de Ciências da Educação), que está a ser materializada de forma gradual. Referiu que o desafio actual é arrancar com o curso de Medicina, numa altura em que se criam as condições para alojamento dos docentes e de estudantes internos, de laboratórios, áreas administrativas e outros serviços que garantem o bom funcionamento da instituição. A VII Região da Universidade Kimpa Vita compreende as províncias do Uíge e Cuanza Norte e funciona há já quatro anos com três unidades orgânicas, designadamente as faculdades de Direito e de Economia e a Escola Superior Politécnica.
 
Reforço da cooperação

Para o presente ano académico, a Universidade Kimpa Vita matriculou 7.076 estudantes, estando prevista a colocação no mercado de trabalho dos primeiros 400 licenciados, em diversas especialidades. O Governo Provincial do Uíge e o Ministério do Ensino Superior, representados pela vice-governadora para a área Política e Social, Maria da Silva e Silva, e pela secretária de Estado para a Inovação, Maria Augusto Martins, rubricaram uma adenda que reforça o memorando assinado em Fevereiro do ano passado, no âmbito da criação de condições para a formação de quadros na província.
A secretária de Estado do Ensino Superior, Maria Augusto Martins, disse que a adenda assinada tem como objectivo a melhoria das condições do funcionamento da Faculdade de Medicina, aberta no presente ano na VII Região Académica.
“Queremos com este memorando facilitar a aquisição dos equipamentos técnicos para a instituição e assegurar as condições de acomodação e de formação dos médicos”, disse a secretária de Estado. Avançou que, no próximo ano, vai ser respondida a preocupação do Governo Provincial sobre a solicitação de abertura dos cursos superiores de Engenharia e Arquitectura, no âmbito do Plano de Formação de Quadros.

Tempo

Multimédia