Províncias

Curso de qualificação actualiza competências

António Capitão| Uíge

A acção de formação de formadores de activistas sociais, que encerra hoje, no Uíge, tem o objectivo de transmitir conhecimentos mais actualizados sobre as competências das famílias em relação à saúde das crianças, com menos de 5 anos.

Um pormenor da cidade do Uíge que acolheu a acção formativa de activistas sociais
Fotografia: Jornal de Angola

A acção de formação de formadores de activistas sociais, que encerra hoje, no Uíge, tem o objectivo de transmitir conhecimentos mais actualizados sobre as competências das famílias em relação à saúde das crianças, com menos de 5 anos.
Os formandos são provenientes dos municípios do Uíge, Maquela do Zombo, Milunga e Quimbele.
A iniciativa pretende, essencialmente, formar activistas locais e criar comités técnicos nas comunas e municípios para a promoção das competências das famílias em relação às doenças que podem afectar às crianças.
Tânia Nicolau, representante do Ministério da Família e Promoção da Mulher, disse que os activistas devem andar de casa em casa para esclarecer as famílias sobre formas de erradicar doenças materno-infantis.
Os activistas devem também desenvolver actividades que promovam os 11 compromissos com a criança assumidos pelo Executivo.A representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Patrícia Silvantes, referiu que a intervenção da organização no processo de promoção das competências das famílias sobre as doenças nas crianças se deve à província partilhar uma vasta fronteira terrestre com a República Democrática do Congo, considerada das regiões mais endémicas de África.
A directora provincial da Família e Promoção da Mulher salientou a importância de se melhorarem condições das famílias e de criar um meio ambiente saudável para as crianças crescerem saudáveis.
Emília Fernandes disse ser fundamental que, nos primeiros cinco anos de vida, a criança registe a presença permanente do pai e da mãe no seu quotidiano.
Para as crianças crescerem saudáveis, declarou a responsável, é necessário que os pais estejam preparados, mas que antes devem cumprir com os 11 compromissos, assumido pelo Executivo.

Tempo

Multimédia