Províncias

Defendida a criação de hospital psiquiátrico

Nicodemos Paulo | Uíge

O professor de Psicologia Social do Instituto Superior de Ciências da Educação do Uíge, Dissengomoka Alexandre, disse terça-feira, ao Jornal de Angola, que é urgente a criação de um hospital psiquiátrico na região para atender os casos de foro psicológico, que acorrem ao Hospital Provincial do Uíge, que não possui qualquer secção especializada. Dissengomoka Alexandre lembrou que, durante o período de guerra que o país viveu, os angolanos estiveram expostos a várias formas de violência, que provocaram comportamentos e atitudes atípicos.

O professor de Psicologia Social do Instituto Superior de Ciências da Educação do Uíge, Dissengomoka Alexandre, disse terça-feira, ao Jornal de Angola, que é urgente a criação de um hospital psiquiátrico na região para atender os casos de foro psicológico, que acorrem ao Hospital Provincial do Uíge, que não possui qualquer secção especializada. Dissengomoka Alexandre lembrou que, durante o período de guerra que o país viveu, os angolanos estiveram expostos a várias formas de violência, que provocaram comportamentos e atitudes atípicos.
Por essa razão, defendeu que, no actual contexto, muitas pessoas requerem uma terapia individual e de grupo durante algum tempo, realizada por especialistas em psicologia e psiquiatria.
O psicólogo referiu que a presença constante de esquizofrénicos nas ruas, em idades cada vez mais jovens, tem uma relação directa com o passado recente do país. 
“Durante muito tempo, velhos, jovens e crianças experimentaram a violência física e mental, por isso não é de estranhar que tenhamos muitos jovens nessa situação”, observou.  Além das causas já referidas, salientou que outros factores sociais podem provocar perturbações mentais, como o excessivo consumo de álcool e outras drogas, tal como o desemprego ou reveses nos negócios.
Para resolver estas questões, Dissengomoka Alexandre propõe a criação de um hospital psiquiátrico e um trabalho conjunto entre médicos psiquiatras e psicólogos, “para que esses doentes encontrem um lugar de cura e em pouco tempo possamos recuperar muitos jovens em idade activa”.

Tempo

Multimédia