Províncias

Deficientes físicos no Uíge estão a beneficiar de apoio

António Capitão | Negage

A Fundação Lwini entregou ao Centro Ortopédico do Negage 50 próteses para colocação imediata em deficientes com lesões abaixo do joelho e 25 para pessoas amputadas acima do joelho.

Foram já doadas centenas de próteses
Fotografia: Mavitidi Mulaza|Negage

O director executivo da Fundação Lwini, Alfredo Ferreira informou que a sua instituição está a financiar as obras de reabilitação e ampliação da unidade de saúde, para transformá-la em Centro Regional de Ortopedia e prestar serviços de fisioterapia, moldagem, alinhamento e outros que devem constituir uma verdadeira unidade de reabilitação física.
O futuro Centro Regional de Ortopedia vai atender as províncias do Uíge, Malange e Kwanza-Norte.
“Estamos a financiar o projecto de construção do centro que vai atender os pacientes do Uíge e de outras regiões do país. Mas enquanto decorrem as obras, decidimos doar próteses para facilitar a locomoção dos deficientes”, esclareceu. O governador Paulo Pombolo destacou a iniciativa da Fundação Lwini no apoio aos deficientes físicos.
“Agradecemos este apoio da Fundação Lwini e da Primeira-Dama da República, Ana Paula dos Santos. Com o lançamento deste projecto, estamos convictos de que marcamos mais um passo seguro com vista à melhoria das condições de vida dos deficientes na província”, afirmou.
O Centro Ortopédico do Negage existe desde 1996 e até agora já fabricou 3.458 próteses, para membros inferiores, 50 orteses, 2.838 muletas e realizou 5.690 tratamentos fitoterapêuticos e 876 aplicações de gesso.
Funciona com 28 trabalhadores, sendo 17 efectivos e 11 colaboradores, colocados nas áreas de fisioterapia, ortopedia geral e técnica, secção de muletas e salas de sensibilização para actividades educativas, desportivas e recreativas.

Tempo

Multimédia