Províncias

Ébola bem vigiada

Valter Gomes| Quimbele

O Governo Provincial do Uíge criou, no município de Quimbele, várias equipas divididas em comissões e subcomissões, para reforçarem as medidas de prevenção relativas ao vírus do ébola.

Governador Paulo Pombolo (ao centro) disse que o nível dos problemas que as comunidades enfrentam exige dos dirigentes maior proximidade
Fotografia: Mavitidi Mulaza

As equipas, constituídas principalmente por profissionais de saúde e da Polícia Nacional, bem como autoridades tradicionais e religiosas e elementos de organizações não-governamentais, actuam em todos os pontos de entrada de estrangeiros.
A decisão foi tomada na primeira sessão ordinária do Governo Provincial, realizada no Quimbele, durante a qual o governador pediu “mais rigor, coerência e responsabilidade” no cumprimento das acções agendadas para este ano.
Paulo Pombolo afirmou que “o elevado número de dívidas contraídas no ano passado por algumas Administrações Municipais prejudicam o desenvolvimento da região.O plano de acção e o seu orçamento para este ano do programa de combate à pobreza, referiu, está bem estruturado e não deixa dúvidas aos gestores municipais.
 “Não vamos tolerar que no fim do ano existam dívidas sem justificação, a exemplo do que sucede em alguns municípios, onde às vezes não são pagos medicamentos, o combustível e a merenda escolar, bem como aos vacinadores”, declarou.
Paulo Pombolo disse que o balanço deste ano vai determinar a continuação ou não de dos responsáveis dos diferentes sectores e das Administrações Municipais. O Governo Provincial, salientou, quer ter uma gestão aberta, ponderada, transparente e eficiente para serem concretizadas as acções programadas e por isso têm de se evitar obras inacabadas e dívidas contraídas por vontade dos gestores. O governador reprovou a conduta “dos que pensam promover a competição intermunicipal pelo regionalismo” porque “não é a ter mais nativos nos cargos de direcção que se valoriza o município, mas pelo que se produz com ideias e realizações”.Paulo Pombolo ordenou ao departamento dos recursos humanos que acelere a preparação do processo de avaliação de desempenho dos dirigentes e de quadros seniores do Governo Provincial e das Administrações Municipais.O nível dos problemas que as comunidades enfrentam, referiu, exige dos dirigentes maior aproximação aos cidadãos, pois para os resolver é preciso conhecer bem as dificuldades que têm.Os gestores públicos foram avisados que têm de cumprir os prazos estabelecidos quanto a prestação de contas, sob pena de incorrem em infracções disciplinares.
 A Unidade Técnica Provincial de Combate à Fome e à Pobreza e as Administrações Municipais também foram alertadas para o interesse de melhorarem os mecanismos e as metodologias de avaliação dos projectos elaborados.

Saúde e ensino

No encontro foi analisado o Programa de Combate à Fome e à Pobreza do ano passado, cujas acções foram realizadas de acordo com as orientações do Executivo, o que permitiu a construção de 44 escolas, com 189 salas, e a reabilitação e apetrechamento de 22.
No âmbito do mesmo programa estão a ser construídas 40 escolas em várias localidades.Também foram instalados 25 postos de saúde, reabilitados 30 outros e 15 estão em construção.
Os participantes receberam informações sobre a construção dos 200 fogos habitacionais em 14 municípios e a criação de condições de habitabilidade nas mesmas zonas, como arruamentos, rede de esgotos, de água potável e de energia eléctrica.Os participantes pediram às direcções provinciais do Urbanismo e da Energia e Água maior rigor na fiscalização das obras e do cumprimento dos prazos pelos empreiteiros.

Tempo

Multimédia