Províncias

Educação denuncia existência de burlões no concurso público

Joaquim Júnior

O director provincial da Educação do Uíge  denunciou ontem a existência de indivíduos que estão a cobrar valores com a garantia de facilitarem a admissão de candidatos ao concurso público de acesso ao sector, que se realiza  no próximo dia 10.

Fotografia: AGOSTINHO NARCISO

“Os candidatos não devem deixar-se enganar com propostas de indivíduos anónimos, que estão a cobrar valores com a promessa de serem admitidos no sector”, alertou. Manuel Zangala falava à margem da II sessão ordinária do Governo Provincial, que analisou, entre outros assuntos, a questão do concurso público no sector da Educação. O director provincial da Educação assegurou que só vai passar  o melhor e não os que praticarem suborno, “vulgo gasosa”. Afirmou estarem garantidas as condições para que o processo seja exemplar e que foram criadas subcomissões, que considerou serem de “alta confiança”. Manuel Zangala informou contar com uma equipa de peritos do Ministério da Educação ligada à Direcção Nacional dos Recursos Humanos
e de outros órgãos do Estado, que estão a fiscalizar a lisura do processo e estão atentos a qualquer irregularidade.
Encontram-se registados para as provas de admissão ao sector da Educação 23.866 jovens, nos 16 municípios da província do Uíge, para disputarem 807 vagas disponíveis.

Tempo

Multimédia