Províncias

Elefantes no Uamba devastam os campos

Joaquim Júnior | Uamba

Várias culturas de mandioca, banana, palmeira, cana-de-açúcar e outros produtos foram devastados, nos últimos dias, por elefantes que invadiram campos agrícolas na comuna do Uamba, no município de Sanza Pombo, informou ontem o administrador comunal.

Várias culturas de mandioca e de outros produtos foram devastados nos últimos dias por elefantes que invadiram campos agrícolas na comuna
Fotografia: Nicolau Vasco

José Pedro referiu que os elefantes continuam a provocar pânico no seio da população camponesa, principalmente quando atravessam em grupo as ruas de Quicuti, Quifiquidi, Quimariamba, situadas no meio de densas florestas.
O administrador comunal salientou que os animais selvagens gostam de habitar em zonas calmas, onde há alimentos e água em abundância. Essas localidades proporcionam condições para a permanência dos mesmos, por possuírem florestas densas e por serem pouco habitadas. “A Administração Comunal da Uamba tem recebido com frequência grupos de agricultores, que pretendem abandonar o bairro Caunda Canongonongo, uma das localidades onde os elefantes, além de destruírem as lavras, ameaçam a segurança dos habitantes”, explicou José Pedro.
Apesar de as autoridades administrativas terem aconselhado a população a retomar as actividades no campo, José Pedro lamentou o facto de os elefantes continuarem a destruir a produção agrícola.
O administrador comunal de Uamba defendeu a necessidade de se fazer um estudo profundo para o bem da fauna e da flora da região.
José Pedro solicitou o envio urgente de uma equipa do Ministério do Ambiente, para a realização de um estudo que visa a criação de uma reserva de protecção das espécies animais existentes na fauna do Uamba, como é o caso da pacaça, que aparece em grandes manadas.
“Neste momento, a população cria mecanismos para afugentar os animais, através de fogueiras ou utilização de instrumentos de alarme, o que afasta os bichos das zonas de cultivo”, disse José Pedro, que concluiu: “Eles não abatem os animais, mas fazem com que eles fujam, por considerarem os bichos como parte da riqueza da nossa fauna, apesar de prejudicarem as culturas.”
Com uma extensão territorial de 1.350,9 quilómetros quadrados, a comuna do Uamba, na província do Uíge, dista 28 quilómetros da vila municipal de Sanza Pombo e tem uma população estimada em 9.990 habitantes, distribuídos em 85 aldeias e cinco regedorias.

Tempo

Multimédia