Províncias

Escola de Saúde na região forma técnicos de farmácia

Nicodemos Paulo |Uíge

A Escola de Formação de Técnicos de Saúde (EFTS) do Uíge começou, em Fevereiro, o primeiro ciclo de formação de Técnicos Médios de Farmácia, para dar resposta à necessidade crescente desse grupo de profissionais nas unidades sanitárias e farmácias da província.

Dos 894 alunos matriculados na instituição, 71 frequentam pela primeira vez o curso Técnico de Farmácia, enquanto os restantes estudam Análises Clínicas, Radiologia e Enfermagem geral.
O director da instituição, Mário Martins, disse que as condições estão criadas para que o ano lectivo decorra sem sobressaltos, apesar de existirem pequenas dificuldades relacionadas com o apetrechamento dos laboratórios de Química e de Análises Clínicas.
Mário Martins lamentou o facto de haver um grande número de técnicos de saúde formados na EFTS que vivem na condição de desempregados.“Os nossos técnicos têm boa aceitação no mercado de trabalho, porém tem havido uma grande desproporção entre a procura e a oferta, porque o número de candidatos é sempre maior em relação à quantidade de vagas disponíveis nos concursos de acesso à função pública”, disse.O director da Escola de Formação de Técnicos de Saúde da província do Uíge adiantou que os alunos são submetidos a um rigoroso estágio no terceiro e quarto ano de formação, acompanhados por um grupo de enfermeiros e professores muito experientes do ponto de vista técnico.
A escola, segundo o responsável, recebe alunos com a 9.ª classe concluída e que durante quatro anos absorvem conhecimentos teóricos e práticos. Os alunos da EFTS frequentam o estágio curricular no Hospital Geral do Uíge e participam de forma activa e regular em campanhas de vacinação e de mobilização social.
“Tudo isso visa aliar a teoria à prática para que os mesmos não tenham dificuldades no seu desempenho profissional depois de concluírem a formação”, referiu.
Criado em 2004, o antigo Instituto Médio de Saúde já formou mais de 600 técnicos nas áreas de Enfermagem e Análises Clínicas.

Tempo

Multimédia