Províncias

Escolas superiores atribuem diplomas

António Capitão | Uíge

A cerimónia de entrega de diplomas e certificados a 274 novos quadros superiores formados na Universidade Kimpa Vita e no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED), do Uíge, realizou-se ontem, na presença do governador provincial, Paulo Pombolo.

Jovens já não precisam abandonar a província para ter formação de nível superior
Fotografia: Manuel Distinto | Uíge

A cerimónia de entrega de diplomas e certificados a 274 novos quadros superiores formados na Universidade Kimpa Vita e no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED), do Uíge, realizou-se ontem, sob olhar atento do governador provincial, Paulo Pombolo, e de familiares dos recém-formados.
Os novos diplomados obtiveram os graus de licenciatura e bacharelato nas especialidades de História, Matemática, Psicologia e Pedagogia, pelo ISCED, e de Contabilidade e Gestão e Informática de Gestão, pela Escola Superior Politécnica (ESP) da Universidade Kimpa Vita.
O director-geral do ISCED/Uíge, Siro Caetano de Sousa, disse que os novos profissionais com formação superior adequada para as actividades de docência, contabilidade, gestão e informática vão ajudar a diminuir a carência de pessoal qualificado para estes sector, na província e no país.
“O Executivo confiou a estas duas instituições de ensino superior na província a complexa missão de formar quadros nas áreas de Ciências da Educação e Tecnologias, tendo em conta a carência existente. Os novos formandos, que acabam de entrar para o mercado de trabalho, representam os esforços conjuntos do Executivo angolano e das Universidades Agostinho Neto e Kimpa Vita em potenciar a região com quadros capazes de darem solução aos vários problemas que antes constituíam um quebra-cabeças, por falta de pessoal qualificado”, referiu Siro Caetano de Sousa.
“Esperamos que apliquem com zelo os vossos conhecimentos nos locais de trabalho, e que continuem com as investigações científicas para não ficarem ultrapassados, pois o país precisa de progredir no desenvolvimento humano, tecnológico, científico e cultural”, disse.
O governador provincial, Paulo Pombolo, destacou os feitos das duas instituições de ensino superior da província, o empenho e dedicação da população do Uíge, que tem apostado na formação, e garantiu que o seu governo vai continuar a prestar atenção especial ao ensino.
“Há vinte anos ninguém pensava na possibilidade de termos um momento como este, que até caracterizo de ímpar na história da província, pelo facto de estarem a ser lançados 250 licenciados e bacharéis, num único ano académico, sobretudo por serem formados localmente”, sublinhou.
“Nos anos 70 e 80 ninguém tinha esperança de que uma sala tão vasta como esta estaria engalanada de jovens formados localmente, no ensino superior. Muitos de nós, jovens na altura, fomos forçados a abandonar o Uíge em busca de formação noutras províncias. Hoje, a realidade é diferente. Os quadros são formados aqui e contribuem para o desenvolvimento da província”.
Paulo Pombolo anunciou estarem criadas as condições técnicas, humanas e de infra-estruturas para que, no próximo ano académico, sejam instalados na província os cursos superiores de Agronomia, Direito e Economia.

Faltam orientadores para as monografias

O director-geral do ISCED revelou existirem naquela instituição mais de 150 trabalhos de fim de curso engavetadas na área científica, por falta de orientadores, factor que está a preocupar a direcção daquela instituição e os estudantes.
“Apesar destes resultados nos parecerem satisfatórios e dos esforços que temos vindo a fazer para a qualificação dos docentes, com graus de mestrado, doutoramento e agregação pedagógica, continuamos a ter problemas de falta de tutores para orientarem as monografias, uma vez que existem 150 estudantes que concluíram o ciclo curricular nos anos anteriores e até agora não conseguiram defender os seus trabalhos”, disse Siro Caetano de Sousa.
Desde a sua criação, em 1997, o ISCED do Uíge já formou 492 licenciados, nos cursos de História, Pedagogia, Psicologia e Matemática, enquanto a Escola Superior Politécnica lançou, desde 2008, no mercado de emprego, 87 bacharéis em Contabilidade e Gestão e Informática de Gestão.
Ainda este ano, o Instituto Superior de Ciências da Educação prevê lançar no mercado de trabalho mais 175 licenciados em História, Matemática, Psicologia, Pedagogia e Língua Portuguesa. A Escola Superior Politécnica vai lançar, até o final do ano, mais 89 bacharéis de Contabilidade e Gestão e Informática de Gestão.     

Tempo

Multimédia