Províncias

Estradas do município de Ambuíla são reabilitadas

Valter Gomes | Uíge

O troço rodoviário de 40 quilómetros que liga as regedorias de Mbuela, Quina e Nvuanga, no município de Ambuíla, província do Uíge, está a ser terraplanado para permitir uma maior fluidez na circulação rodoviária entre as regiões.

Autoridades do município estão preocupadas com o estado das estradas que tem dificultado as ligações rodoviárias entre as regiões
Fotografia: Eunice Suzana | Uíge

O administrador adjunto de Ambuíla, Luís Banda, garantiu ao Jornal de Angola que os trabalhos de terraplanagem decorrem a ritmo acelerado e acredita que dentro de poucos dias já se vão sentir grandes melhorias na circulação rodoviária entre as regiões.
Além do troço em reabilitação, disse que dentro de dias começam os trabalhos na estrada que liga a sede do município à comuna de Quipedro, numa extensão de quase 97 quilómetros. As obras de melhoramento das estradas secundárias e terciárias do município estão a ser executadas no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural e de Combate à Pobreza.
Com a eleição das Grutas do Nzenzo entre as Sete Maravilhas de Angola, o Governo Provincial garantiu a reabilitação de mais de 100 quilómetros da estrada que liga a cidade do Uíge ao município, assim como os cerca de 17 quilómetros que separam a sede provincial da municipal, a aldeia Bombo, onde se encontram localizadas as Grutas.
“A eleição das Grutas do Nzenzo vai impulsionar o desenvolvimento turístico, económico e social do Ambuíla, uma vez que vão ser construídas novas infra-estruturas para acolher turistas e outros visitantes". Por isso, estamos cientes que bons dias virão”, disse.  De acordo com o administrador adjunto do Ambuíla, a melhoria das vias de acesso, sobretudo as secundárias e terciárias, vão permitir que os serviços sociais básicos cheguem rapidamente às zonas mais recônditas do município, facilitando, deste modo o escoamento dos produtos agrícolas do campo para as cidades.

Boa produção agrícola


“O município de Ambuíla é um bastião da produção de alimentos. As terras são férteis e as chuvas caem em quantidade suficiente para irrigar as plantações. Temos tudo para cultivar ”, disse o administrador, acrescentando que o município tem registadas nove associações agrícolas empenhadas na produção de milho, mandioca, jinguba, feijão, mandioca, banana, hortícolas, entre outros produtos.
Em 2012, os agricultores associados do Ambuíla beneficiaram do Crédito Agrícola, do Banco de Poupança e Crédito (BPC), consubstanciado em sementes, fertilizantes e máquinas de lavoura, meios que estão a contribuir para o aumento significativo da produção agrícola.Para garantir maior controlo e apoio aos camponeses, a Administração Municipal realiza visitas regulares às associações para acompanhar melhor a produção de alimentos, como a banana, milho, jinguba, mandioca, abóbora, batata-doce e rena.
O grande problema apontado pelo administrador adjunto do Ambuíla tem a ver com a falta de transporte, com os camponeses a enfrentam grandes dificuldades no escoamento de alimentos produzidos no campo. Reconheceu, apesar disso, que enquanto as vias não forem melhoradas, os serviços de transporte de passageiros e carga vão continuar a desviar-se das rotas que vão até ao município de Ambuil.Relativamente ao sector da Educação, o município tem 14 estabelecimentos de ensino, entre escolas do ensino primário e do I e II ciclos. Neste ano lectivo, foram matriculados mais de sete mil alunos, da iniciação à 12ª classe. As aulas são asseguradas por 410 professores.
Luís Banda admitiu que todos anos lectivos se regista um aumento de alunos, razão pela qual pediu a construção de mais salas e o aumento de professores. "Existem localidades do município onde não temos docentes a leccionar”, lamentou.

Energia e água

A rede de abastecimento de água potável funciona através de um sistema de gravidade. A água jorra 24 horas por dia, depois de ter sido feito um trabalho de reabilitação e ampliação da rede de distribuição.
O sistema funciona actualmente com 12 chafarizes, um tanque com capacidade para abastecer mais de 15 mil litros de água por hora. Nas localidades onde não existe água estão a ser feitos furos artesianos.
Em relação à energia eléctrica, afirmou que a população tem luz, fornecida por um grupo gerador de 600 kva. Mas,"infelizmente, a fonte alternativa está constantemente avariada por não suportar a quantidade de consumidores. O município fica muitas vezes às escuras por falta de técnicos capazes de fazer uma boa manutenção do equipamento", disse.
O abastecimento de combustíveis é outra das grandes dificuldades, mas estão a ser envidados esforços para a aquisição de grupos geradores com mais capacidade.
Com uma população calculada em 18.750 habitantes, distribuídos por uma comuna, 54 aldeias e oito regedorias, o município de Ambuíla está localizado a Oeste da sede provincial do Uíge.

Tempo

Multimédia