Províncias

Estudantes da Universidade Kimpa Vita fazem campanha contra a sinistralidade

António Capitão | Uíge

Cerca de 80 estudantes da Escola Superior Politécnica do Uíge (ESPU), da Universidade Kimpa Vita, vão realizar, no próximo sábado, uma campanha de sensibilização rodoviária nas artérias do município do Uíge.

Automobilistas vão ser sensibilizados a respeitar o Código de Estrada para se evitarem acidentes na cidade do Uíge e arredores
Fotografia: Jornal de Angola

Cerca de 80 estudantes da Escola Superior Politécnica do Uíge (ESPU), da Universidade Kimpa Vita, vão realizar, no próximo sábado, uma campanha de sensibilização rodoviária nas artérias do município do Uíge.
O presidente da Associação de Estudantes da Universidade Kimpa Vita (UNIKIV), Manuel Kubi, disse que a campanha vai contar com a participação de alunos dos cursos de Contabilidade e Gestão, Engenharia Informática, Direito, Enfermagem e Agronomia.
O líder juvenil salientou que o objectivo é sensibilizar os automobilistas na observância do respeito ao Código de Estrada e a terem uma condução responsável, para se conseguir reduzir os níveis de sinistralidade rodoviária.

Excursão a Malange

Estudantes de várias unidades orgânicas afectas à Universidade Kimpa Vita, no Uíge, realizam, nos dias 10 e 11 de Novembro, uma excursão à província de Malange, onde também vão promover uma campanha de sensibilização contra a prevenção rodoviária.
Durante a estadia em Malange, os estudantes vão trocar experiências com os universitários da Lueji A´Nkonde. Manuel Kubi disse que o grupo parte para a província de Malange, no dia 9 e além dos encontros académicos com os estudantes da Lueji A´Nkonde, está prevista uma campanha de doação de sangue ao Hospital Geral local, partidas de futebol e xadrez, sessão de teatro e uma excursão ao Rio Kwanza, no município de Cangandala.
O líder da associação de estudantes salientou que a viagem visa incentivar os estudantes a integrarem-se nas comunidades e a terem contacto com as dificuldades e necessidades que a população vive.
Manuel Kubi referiu que “o estudante universitário deve ser capaz de contribuir, com acções, ideias e opiniões sobre o que acontece na sociedade, para melhorar as condições de vidas das comunidades”.

Tempo

Multimédia