Províncias

Estudo investiga causas da pobreza

Valter Gomes | Uíge

Pesquisadores do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola realizam, até ao próximo dia 27, no município do Negage, província do Uíge, um estudo sobre as principais causas dos níveis de pobreza no meio rural.   

Resultados das investigações feitas em várias localidades do país vão ser publicados em livro sobre a pobreza no meio rural
Fotografia: Eunice Suzana | Uíge

O coordenador do Departamento de Estudos Sociais do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola, Nelson Pestana, disse, durante uma mesa redonda, que com este estudo se pretende encontrar linhas mestras que possam ajudar na concretização dos vários programas e projectos do Executivo, destinados a combater a fome e a pobreza, e procurar soluções adequadas para o bem-estar das pessoas.
Para tal, foram seleccionadas as comunas do Quisseque, Dimuca e a sede municipal do Negage como pontos de pesquisa.
Para que se possa atingir um resultado, é necessário interagir com os habitantes, procurando a realidade da vida no meio rural. Os trabalhos vão durar 12 dias e, no final, vai ser produzido um projecto sobre as linhas mestras para o combate à pobreza nestas áreas.
O trabalho, referiu o coordenador, vai ser partilhado com os membros do Governo Provincial e demais intervenientes, para se encontrar uma solução adequada, que possa servir de exemplo a outras províncias.
Iniciado no passado dia 15, no Negage, o trabalho conta com o apoio do Conselho das Igrejas Cristãs em Angola.
Lançado nas províncias do Huambo e Huíla, vai, posteriormente, chegar à do Cunene. Nelson Pestana adiantou que os resultados das investigações feitas em várias localidades do país vão ser publicados em livro sobre “A pobreza no meio rural em Angola”.O coordenador informou que a iniciativa visa também ajudar na concretização de programas e projectos assentes na realidade social e nas necessidades das populações, e posteriormente influenciar as políticas públicas.
Os principais eixos do trabalho são: “A relação entre a pobreza e a macroeconomia”, “A pobreza e o microcrédito”, “A pobreza, água e o saneamento básico”, “A pobreza e saúde”, “Pobreza e serviços sociais”, “A pobreza e estratégias familiares” e “A pobreza no meio rural”.
 O vice-governador para o sector económico e produtivo do Uíge, Carlos Mendes Samba, considerou positiva a iniciativo da Universidade Católica de Angola, tendo em conta que este estudo vai permitir que o Governo Provincial actue com firmeza e de forma mais correcta nas acções de combate à pobreza no meio rural.
Carlos Mendes disse que o Governo tem levado a cabo o “Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate a Pobreza”, que integra os subprogramas de impacto social e económico sobre os “Cuidados Primários da Saúde”, “Água para Todos” e um outro de distribuição de “Merenda Escolar”. Os programas em curso, salientou, têm estado a solucionar problemas da saúde e educação, e a cobrir outras necessidades da população, com vista ao seu bem-estar social.  “É importante e indispensável a participação de todos no processo de desenvolvimento de Angola e, em particular, da província do Uíge, por isso, cada um deve procurar fazer o melhor”, considerou.
Durante a mesa redonda, os participantes abordaram, entre outros, os temas: “A pobreza como objecto de pesquisa”, “Origem sócio-histórica da pobreza no meio rural”, “Comercialização rural no contexto da pobreza”, “Pobreza, acesso aos serviços básicos e participação” e “Papel da descentralização no combate à pobreza”.

Tempo

Multimédia