Províncias

Falta de médicos e enfermeiros preocupa autoridades locais

António Capitão|Mucaba

No município do Mucaba existem sete postos de saúde, um centro e um hospital municipal de referência, que entra em funcionamento nos próximos dias.

Governo investe na construção de mais postos de saúde em várias aldeias do interior
Fotografia: António Capitão

No município do Mucaba existem sete postos de saúde, um centro e um hospital municipal de referência, que entra em funcionamento nos próximos dias. O grande problema, segundo referiu a administradora, está relacionado com a falta de médicos, já que cobrem a rede sanitária apenas dois, um pediatra e um ginecologista, e 32 enfermeiros.
Considerando este número irrisório, defende o enquadramento de, pelo menos, mais quatro médicos formados em clínica geral e mais 20 enfermeiros, para que seja prestado um serviço de assistência médica e medicamentosa com qualidade e em tempo oportuno, evitando a evacuação de doentes para o Hospital Geral do Uíge”.
“Estamos empenhados em melhorar a prestação dos serviços de saúde à população. Estamos a desenvolver várias acções de construção de mais postos de saúde em algumas aldeias que estão muito distantes da sede do município, como a Kiniambi, Kitamba, Kieka e outras”, referiu.


Ainda se bebe água dos rios

A população ainda consome água dos rios e da cacimba. A administradora diz que a situação está controlada, uma vez que já foi instalado na sede municipal um sistema de captação, bombagem e distribuição de água por gravidade.
  O sistema ainda não está a funcionar, porque as condições higiénicas do local onde é retirada a água não é das melhores e as populações foram aconselhadas a não fazer uso dela. “Solicitámos ao governo provincial que seja construído, na sede municipal do Mucaba, um novo sistema de captação e distribuição de água, para se evitar que a população continue a consumir água imprópria, correndo o risco de contrair doenças”, frisou.
No tocante à energia, o município dispõe de um gerador de 600 Kva instalado e distribui diariamente corrente eléctrica para algumas residências da vila, instituições e vias públicas, das 18 às 22 horas. Em curso está o alargamento da rede de distribuição para que a energia chegue a todas as residências da vila e periferia.


Agricultura de subsistência

A população do município do Mucaba é maioritariamente camponesa e dedica-se ao cultivo da mandioca, banana, batata-doce e rena, inhame, amendoim, feijão e hortícolas.
 Adelina Maria de Fátima lamenta o facto da actividade agrícola, na região, continuar a ser desenvolvida de forma rudimentar, obrigando os agricultores a produzirem mais para o seu próprio consumo.
A região possui potencialidades agrícolas e diversidade de culturas, mas por falta de meios para a mecanização agrícola, esta actividade ainda é exercida em pequena escala, destinada à subsistência dos próprios produtores”, disse, acrescentando que a administração já encomendou tractores com as respectivas alfaias agrícolas para apoiar as associações locais de camponeses.

Tempo

Multimédia