Províncias

Futuros empresários em ciclo de formação

Valter Gomes |Uíge

Um grupo de 60 jovens empreendedores dos municípios do Uíge e Negage, inscritos no Balcão Único do Empreendedor (BUE), participou num ciclo de formação sobre técnicas de contabilidade e gestão de micro e pequenas empresas.

Participantes receberam diplomas de participação que os habilitam a exercer a actividade
Fotografia: Jornal de Angola

A acção formativa, promovida pelo Instituto Nacional de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), em colaboração com o Governo Provincial do Uíge, visou munir os empreendedores de conhecimentos sobre como iniciar a sua própria empresa, técnicas de contabilidade e melhoria na gestão dos recursos da empresa.
Élio Paulo agradeceu, em nome dos formandos, a iniciativa, uma vez que os conhecimentos adquiridos vão permitir aos jovens empreendedores interpretarem melhor os conceitos empresariais, tendo em conta que a actual conjuntura económica exige conhecimentos sólidos e dirigidos.
“Assumimos o compromisso de aplicar na prática os conhecimentos adquiridos para melhor servirmos a província, já que a formação permitiu a abertura da criação de médias e pequenas empresas na província, facilitando, assim, a criação de mais empregos para a juventude local”, disse.
O delegado provincial da Justiça e Direitos Humanos, Miguel Cutoca, disse que o Executivo está atento aos problemas que o empresariado nacional ainda enfrenta e sublinhou a necessidade de se fazer um trabalho em conjunto, para que o empreendedorismo na província do Uíge seja um facto e produza resultados palpáveis.
Além disso, pediu aos formados aplicarem os conhecimentos adquiridos durante a formação, com vista à melhoria das suas unidades empresariais. “Não se esqueçam que gerir não é gastar e quando gastarem devem reproduzir novos rendimentos”, elucidou.
De acordo com o delegado da Justiça, os jovens, além de serem empreendedores, devem também ser líderes, porque, referiu, no desempenho das actividades devem motivar outras equipas para, em conjunto, contribuírem para o bem-estar social de todos. Os BUE foram criados à luz do decreto presidencial número 40/2012 de 13 de Março e têm como propósito a simplificação e desburocratização dos actos da constituição e licenciamento das micro e pequenas empresas, de modo a transformar as actividades económicas informais, comércio formal e informal, criando empregos directos para a juventude.
Os participantes receberam diplomas de participação que os habilita a exercerem qualquer actividade económica ligada ao desenvolvimento de pequenas e médias empresas, no âmbito do Programa de Empreendedorismo no país.

Tempo

Multimédia