Províncias

Governador apela aos camponeses para a produção

Valter Gomes | Uíge

O governador provincial do Uíge incentivou os camponeses do Quisseque, município do Negage, no sentido de alargarem cada vez mais a produção agrícola.

Vista parcial da sede do município onde estão em curso diversas acções de impacto social para melhorar o nível de vida da população
Fotografia: Mavitidi Mulaza|Uíge

Paulo Pombolo anunciou que o Governo da província vai aplicar, nos próximos dias, o programa “Comércio Rural”, com o objectivo de facilitar a comercialização dos produtos agrícolas cultivados pelos camponeses da região. O governador disse que oito agentes comunitários estão formados para assegurar o funcionamento dos centros logísticos, que são abertos nos municípios no sentido de conservar e comercializar os produtos cultivados pelos camponeses. Os agentes de cada município são apoiados com materiais diversos e meios de transporte, com vista a facilitar a recolha e transporte dos produtos agrícolas para os locais de venda. Paulo Pombolo disse que as condições estão a ser criadas com vista ao aumento da produção agrícola em todas as localidades da província, sem possibilidades de se deixar os bens no campo. A aplicação de um programa de reestruturação das vias, realizado pelo Governo Provincial do Uíge em colaboração com as administrações municipais, está a contribuir para a melhoria das estradas secundárias e terciárias, o que permite que a população escoe os produtos sem grandes constrangimentos. Neste programa, disse o governador Paulo Pombolo, Quisseque não está de fora, uma vez que está previsto melhorar os 18 quilómetros que separam a comuna da sede do município, ponto estratégico da produção do café, mandioca, ginguba, banana, entre outros produtos. Educação tem carências O coordenador comunal da Educação no Quisseque, Félix António, disse que o sector necessita de 39 professores para assegurar as aulas a nível da região. A par disso, a comuna tem necessidade de pelo menos 33 novas salas de aulas, para garantir a absorção de mais alunos que se encontram fora do sistema normal de ensino. Por falta de salas, a coordenação controla, no presente ano lectivo, 1.215 crianças que não estudam, situação que está a preocupar os responsáveis locais. Félix António apontou as localidades de Catumbo, Pumba, Gozolo, Quisseque, Cazundo e Quimbanze como as áreas com grande necessidade de mais salas de aulas. Quisseque conta com 2.236 alunos matriculados, dos quais 1.986 frequentam o ensino primário. As aulas para estes são asseguradas por 64 professores. Na comuna do Quisseque, a merenda escolar ainda não se faz sentir. Mas, no ano passado, este programa existia e contribuía para a melhoria do aproveitamento escolar dos alunos da localidade. Félix António defendeu a introdução da merenda escolar em todas as escolas da província, uma vez que o programa tem ajudado os alunos a permanecerem nas salas e a terem bom desempenho. Quisseque localiza-se a 18 quilómetros da sede municipal do Negage. Possui duas regedorias, oito aldeias e uma população estimada em 21.954 habitantes. Mandioca, ginguba, café, banana, batata doce e rena, feijão e milho são os produtos mais cultivados. Mais água potável O secretário de Estado das Águas, Luís Filipe, procedeu à colocação da primeira pedra para a construção do sistema de captação, tratamento e distribuição de água potável para a vila de Maquela do Zombo, a 310 quilómetros a norte da cidade do Uíge. O futuro sistema de água vai ser instalado em três anos no rio Luidi, a quatro quilómetros a sul da sede municipal de Maquela do Zombo e terá capacidade para bombear 90 litros de água por segundo, comportando um reservatório de quatro mil metros cúbicos. De acordo com o director nacional de águas, Lucrécio Costa, o projecto inserido no programa “Água para todos”, terá uma conduta de 70 quilómetros e um sistema de 75 chafarizes, além de uma rede domiciliar para 50 casas.Durante a sua estada em Maquela do Zombo, Luís Filipe manteve encontros com as autoridades tradicionais e outros responsáveis do município, tendo esclarecido os objectivos da sua visita. Na região estão em curso diversas acções de impacto social para melhorar o nível de vida da população. Das obras, destaque para as dos sectores da saúde e educação.

Tempo

Multimédia