Províncias

Governador do Uíge toma medidas para facilitar a vida dos professores

António Capitão

O desajustamento de categorias e o processo de pagamento de salários aos professores do Uíge está a preocupar o governador da província, Paulo Pombolo. O governo local está a criar mecanismos para a solução dos problemas nos ministérios da Educação, das Finanças e da Administração Pública, Emprego e Segurança Social.

Problemas que atravessa a Educação merecem a atenção do Governo Provincial do Uíge
Fotografia: Francisco Bernardo

O desajustamento de categorias e o processo de pagamento de salários aos professores do Uíge está a preocupar o governador da província, Paulo Pombolo. O governo local está a criar mecanismos para a solução dos problemas nos ministérios da Educação, das Finanças e da Administração Pública, Emprego e Segurança Social. As diferenças de tratamento entre professores com as mesmas habilitações e tempo de serviço só podem ser resolvidas pelo Executivo.
 “A situação salarial dos professores da província tem de ser revista. Deve ser ainda feito o ajustamento das categorias dos docentes com base no tempo de serviço e no nível académico, porque não é justo que dois técnicos com as mesmas qualificações tenham diferentes salários e categorias”, disse Paulo Pombolo. Os professores do Uíge há muito que reclamam que os seus salários sejam pagos através de conta bancária. E querem receber pela categoria a que têm direito, tendo em conta o Estatuto da Carreira Docente.
 O governador do Uíge sublinhou que as Direcções Provinciais da Educação, Finanças e do MAPESS estão a imprimir maior dinamismo e celeridade aos processos de pagamentos dos salários através dos bancos e no ajustamento das categorias de acordo com o novo Estatuto da Carreira Docente do Ministério da Educação. Há no Uíge muitos professores que aguardam o ajustamento das suas categorias ao novo estatuto. “As Direcções das Finanças, Educação e MAPESS devem ser mais dinâmicas e rápidas no tratamento das questões relacionadas com o pagamento dos salários dos professores através dos bancos da província e no acerto das categorias”, referiu o governador. Os representantes dos docentes dizem que há casos de professores que concluíram as suas licenciaturas mas ainda recebem como se não fossem licenciados. Como existem professores que já estão na categoria correspondente às suas habilitações académicas, há discriminações que têm de ser corrigidas com urgência, defende o governador .
O Governo Provincial reúne esta manhã para discutir e analisar várias questões da vida social e económica da região.
De acordo com a agenda de trabalhos, à qual o Jornal de Angola teve acesso, o governo, entre outros assuntos, vai fazer o balanço das acções empreendidas através do Programa de Investimentos Público (PIP) e apreciar a proposta do projecto do Estatuto Orgânico do Governo Provincial do Uíge.
Os programas de abastecimento de água e do sector da indústria transformadora na região, o arranque do ano académico na Universidade Kimpa Vita e a situação actual da criminalidade na província vão igualmente merecer a atenção do Governo Provincial. Na agenda da reunião de hoje do Governo Provincial está também a análise da situação do pessoal de enfermagem.

Tempo

Multimédia