Províncias

Governador nomeia comissão de gestão

Nicodemos Paulo | Uíge

O governador provincial do Uíge, Paulo Pombolo, reuniu-se na sexta-feira com os médicos, enfermeiros e técnicos de diferentes especialidades do Hospital Central do Uíge para analisar o funcionamento da instituição.

Governador insatisfeito com a falta de orgainização e má gestão dos meios hospitalares
Fotografia: Jaquelino Figueiredo | Soyo

Na reunião, que também serviu para apresentar a nova comissão de gestão do hospital, Paulo Pombolo manifestou-se descontente com a falta de organização, disciplina e colaboração dos trabalhadores e a má gestão dos meios hospitalares.
Nos últimos dois anos, o orçamento do hospital aumentou de 90 mil dólares mensais para cerca de 500 mil, o que ajudaria a inverter o quadro para a melhoria da qualidade dos serviços prestados, o que não aconteceu, disse o governador.
“Esta situação é preocupante e obriga-nos a agir agora, pois continuamos a enfrentar dificuldades, como a falta de medicamentos e meios materiais para os médicos e enfermeiros exercerem o seu trabalho, mau saneamento básico e fraca qualidade da alimentação para o pessoal em serviço e doentes”, afirmou.
Paulo Pombolo advertiu as empresas que prestam serviços no hospital a melhorarem o seu desempenho e adiantou que o Governo mandou fazer um levantamento exaustivo das dificuldades. Em função disso, foi produzido um plano de trabalho que deve ser cumprido pela comissão de gestão, primeiro, e, depois, pela futura direcção-geral. />Sublinhou que o hospital está a beneficiar de obras de reabilitação e ampliação, com o apetrechamento com equipamentos modernos, que vão permitir melhorar a prestação de serviços.
Paulo Pombolo disse ter orientado o fiscal da empreitada no sentido de se imprimir maior celeridade à obra, porque a aglutinação de serviços em pequenos espaços está a provocar embaraços. O governante referiu ainda que questões relativas ao enquadramento nas categorias salariais estão a influenciar de forma negativa no desempenho dos funcionários, mas a situação está já a ser tratada com o Ministério da Saúde, assim como o fornecimento regular de energia e água ao Hospital Central do Uíge.
A comissão de gestão que vai, nos próximos seis meses, se encarregar da organização do hospital provincial do Uíge, é coordenada pela vice-governadora para Área Política e Social, Maria Fernandes da Silva, e integra os médicos Carlos Diamantino, Silvina Maria, Figueiredo, Lucrécia Pedro, Sanção Botelho Manuel e Mário Martins.

Tempo

Multimédia