Províncias

Governador quer ensino de qualidade

Joaquim Júnior | Uíge

O governador do Uíge recomendou aos docentes e discentes, sobretudo os do curso de Pedagogia do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED) a desenvolverem estudos científicos que ajudem a melhorar a qualidade do ensino na província.

Governador Paulo Pombolo reconheceu que muitos alunos ingressam nas universidades com problemas graves de ortografia e leitura
Fotografia: Eunice Suzana | Uíge

Paulo Pombolo falou na abertura do ano académico 2015 da instituição e disse que o ISCED, sendo um instituto vocacionado para a formação de professores com grau de licenciatura, deve actuar como um parceiro forte do Governo na criação de condições para a melhoria do ensino e aprendizagem na região.
“Queremos que o ISCED nos ajude a debelar as insuficiências existentes no sector da educação, através de acções de investigação para, posteriormente, serem produzidas algumas conclusões que podem servir de base para as soluções que se impõem na melhoria da qualidade do ensino na província”, disse.
O governador do Uíge reconheceu que muitos alunos que concluem o ensino médio entram para o ensino superior com problemas graves de ortografia e leitura, daí ter apelado à direcção do ISCED no sentido de trabalhar para resolver o problema crítico que se vive no sector da Educação.
“Todos aqueles que terminam a formação nesta instituição do ensino superior devem ser professores qualificados”, referiu o governador, lamentando o número de quadros que se desvinculam do sector da Educação para outras áreas. Aos docentes nacionais e expatriados, Paulo Pombolo aconselhou a fazerem o uso correcto da Língua Portuguesa por ser um instrumento fundamental na comunicação com os estudantes.
O governador provincial pediu aos estudantes do Instituto Superior de Ciência de Educação que denunciem os infractores que procuram manchar o bom nome da instituição.
O Governo Provincial vai continuar a melhorar as condições das infra-estruturas para facilitar a formação dos jovens da província, sem precisarem de se deslocar para outras cidades, garantiu. O director-geral do ISCED do Uíge, Siro Francisco Caetano, disse que a instituição realiza um conjunto de acções que vão ajudar a diagnosticar os problemas de que enferma a educação de infância, à luz da reforma educativa em curso no país.
Siro Caetano destacou o crescimento do Instituto nos últimos oito anos, que vão desde a  organização interna, aumento de cursos para responder às exigências actuais e de acções de capacitação, além da contratação de quadros.No presente ano académico, o ISCED matriculou 7.835 estudantes, contra os 6.854 inscritos em 2014.
 A instituição administra os cursos de Pedagogia, Geografia, História, Psicologia, Filosofia, Matemática, Biologia, Línguas (Português, Francês e Inglês), Física, Química, Ensino Primário, Ensino Especial e Pré-escolar.

Tempo

Multimédia