Províncias

Governo apoia as vítimas

Valter Gomes | Uíge

As fortes chuvas que cairam nos últimos dias na província do Uíge causaram oito mortes, dois feridos graves e desalojaram 7.948 famílias, revelou ao Jornal de Angola o chefe de Departamento de Protecção Civil e Bombeiros.

Há mais lagoas do género nos arredores da cidade do Uíge causadas pelas fortes chuvas
Fotografia: Eunice Suzana |

Eduardo André referiu a água destruiu 1.953 casas particulares e 26 sociais, 21 igrejas, outras tantas escolas, cinco postos de saúde, uma ponte e cerca de 20 hectares de campos agrícolas.
Os municípios mais afectados são os do Uíge, Negage, Puri, Cangola, Sanza Pombo, Milunga, Mucaba, Songo, Bembe, Maquela do Zombo e Quitexe. As famílias afectadas foram apoiadas, pelo Governo Provincial, com bens alimentares, chapas de zinco, roupa usada, utensílios de cozinha, de carpintaria e para pedreiros, bem como agrícolas. Eduardo André Pereira afirmou que algumas das situações registas se ficam a dever ao lixo colocado nas valas de drenagem que impede a passagem das águas.
 
Habitantes preocupados

Piedade Victor, 23 anos, morador do bairro Papelão, próximo da praça da Independência, disse estar preocupada com as dezenas de crianças que diariamente brincam na lagoa formada pela água da chuva, que é muito profunda e constitui um perigo. A Praça da Independência é o principal local da realização de várias actividades sociais, económicas e culturais, como é o caso da feira agropecuária e industrial.
Eduardo André afirmou que há mais quatro lagoas do género nos arredores da cidade do Uíge.

Tempo

Multimédia