Províncias

Governo do Uíge leva incumpridores a tribunal

Valter Gomes | Uíge

As empreiteiras que não cumpram os prazos estabelecidos na execução de obras de impacto social e económico no município do Ambuíla vão ser responsabilizadas criminalmente, advertiu o governador do Uíge.

Paulo Pombolo na sua deslocação ao município do Ambuíla concluiu que grande parte das obras está atrasada no tempo
Fotografia: Eunice Suzana | Ambuila

Paulo Pombolo, que falava no final da visita às obras socioeconómicas em curso na sede de Ambuíla, disse que as construtoras que abandonam as obras estão a contribuir para o retrocesso do município e da província no geral.
A este respeito, sublinhou que as autoridades vão continuar a dar preferência a empresas responsáveis e capazes de executar os projectos, nos termos dos acordos estabelecidos, e deixar para atrás as empreiteiras que só querem usurpar o dinheiro do Estado, sem prestar contas e muito menos concluir os trabalhos que lhes são incumbidos.
Os atrasos mais flagrantes estão relacionados com as obras de conclusão de 200 fogos habitacionais, construção de sistemas de abastecimento e distribuição de água potável e de energia eléctrica na vila de Ambuíla, cujos prazos estabelecidos entre o Governo e a empreiteira estão vencidos.
No município do Ambuíla, o governador visitou ainda as obras de construção do futuro Hospital Municipal, de casas sociais, novas salas de aulas, além de ter verificado o funcionamento do centro de saúde local e do comando da Polícia Nacional.
Durante a sua estadia, Paulo Pombolo reuniu-se com os membros da Administração Municipal, dos quais recebeu informações pormenorizadas sobre os projectos em curso.
O administrador municipal adjunto, Luís Banda, destacou, entre outros projectos em curso no município, os trabalhos de terraplanagem no troço entre a aldeia Zunga e a localidade de Vamba, construção de residências para funcionários, casas sociais e mercado municipal.
Na localidade estão igualmente em curso a construção de novos furos artesianos, para o fornecimento de água potável às populações das aldeias de Bela Vista, Quimutango, Quissalava e Quindaca.
O administrador adjunto disse que a maior preocupação tem a ver com a reabilitação das via de acesso, principalmente a estrada Ambuíla-Songo, com cerca de 96 quilómetros, e a que liga a sede municipal às grutas do Nzenzo e à regedoria do Nvuanga, com uma extensão de 40 quilómetros.
Luís Banda referiu que o aumento de salas de aulas, para acolherem alunos do II ciclo, é outra das grandes preocupações dos habitantes daquela parcela do Uíge.

Maior dinamismo

O governador provincial do Uíge recomendou à Administração Municipal do Ambuíla que continue a imprimir dinamismo na concretização das várias acções destinadas ao desenvolvimento da região.
Paulo Pombolo considerou que, há um ano, a municipalidade está a registar avanços significativos, uma vez que, em 2010, quase não possuía infra-estruturas sociais de realce, para conferir dignidade às populações.
Actualmente, fruto dos esforços das autoridades locais e provinciais, o governador disse ser já notável o surgimento de novas infra-estruturas, com destaque para as instituições do Estado.

Tempo

Multimédia