Províncias

Governo garante apoio aos camponeses

Nicodemos Paulo | Uíge

O governador do Uíge prometeu, no âmbito do programa de combate à pobreza, apoiar as cooperativas agrícolas do Uíge com tractores equipados com alfaias e sementes para poderem aumentar a produção.

Camponeses têm recebido vários apoios do Governo para poderem aumentar a produção
Fotografia: Arquivo JA

“Temos todo o interesse em apoiar a vossa actividade, pois dela depende o desenvolvimento da região, mas é preciso seriedade na execução das tarefas”, afirmou Paulo Pombolo no final de um encontro com os responsáveis de oito cooperativas agrícolas e das Estações de Desenvolvimento Agrário dos municípios.
O governador inteirou-se das dificuldades técnicas e materiais  das cooperativas para procurar encontrar as formas mais viáveis para o relançamento do cooperativismo agrícola na província.
Os agricultores referiram que com algum sacrifício têm conseguido colocar os produtos cultivados no mercado, situação que podia ser melhorada se fossem apoiados com tractores e viaturas.
“Continuamos a trabalhar de forma rudimentar, mas se nos derem algumas máquinas podemos aumentar a capacidade de produção, pois nem todos receberam o Crédito de Campanha Agrícola”, afirmou Afonso Ngunza, da Cooperativa do Banza Quinguângua.
Os representantes das cooperativas, que assumiram a falta de conhecimentos de gestão financeira e de recursos materiais, pediram ao Governo Provincial que promova acções de formação sobre agro negócios e técnicas modernas de produção agrícola.
O governador disse à Direcção da Agricultura que tem de auxiliar as cooperativas para rapidamente serem materializados os resultados dos encontros realizados e que as ajudas devem progressivamente estenderem-se a outros municípios.
“Vamos começar no Uíge e posteriormente alargar o programa a outros municipios”, disse. O director provincial do Uíge da Agricultura afirmou que o encontro serviu para incentivar os camponeses a continuar a actividade, apesar das dificuldades.
Além dos tractores e de outros equipamentos de apoio ao trabalho agrícola, referiu, é necessário que se melhorem as vias terciárias para facilitar o escoamento dos produtos . Eric Lussoki declarou que, pelo interesse manifestado por alguns empresários em investir na agricultura e pecuária, acredita em melhorias no sector.
 “Creio que nos próximos dois anos podemos ter produção capaz de reduzir a importação de produtos alimentares”, concluiu.

Tempo

Multimédia