Províncias

Hospital do Soyo recebe sangue

Jaquelino Figueiredo | Soyo

Os serviços de hemoterapia do Hospital Municipal do Soyo receberam, na quinta-feira,  cerca de 50 litros de sangue, doados por um grupo de escuteiros da Missão Católica do Mpinda e por membros da Brigada Jovens Solidários (BJS) de Luanda, informou a chefe de laboratório e da hemoterapia.

Acção serviu para sensibilizar a população sobre a necessidade da doação de sangue
Fotografia: Jaquelino Figueiredo

A  doação  teve a presença do governador provincial do Zaire, José Joanes André, e visou sensibilizar a sociedade local para a necessidade de periodicamente doar sangue aos hospitais, para  salvar pessoas que precisam de transfusão.
A chefe da equipa da Brigada Jovens Solidários, Raquel da Lomba, disse que a deslocação à região do Soyo, além da doação de sangue ao hospital, visou   criar um núcleo da brigada a nível local, para ajudar periodicamente a unidade sanitária.
A chefe do laboratório e da hemoterapia do Hospital Municipal do Soyo, Teresa Pemba, disse que, em termos de sangue, a unidade tem muitas carências por falta de dadores regulares na região.
“Estamos mal, uma vez que trabalhamos com dadores familiares. Quando se precisa de transfusão, pedimos aos parentes do doente para doarem”, disse a responsável da hemoterapia.
Teresa Pemba lamentou o facto de os dadores que mais aparecem serem pessoas com uma hemoglobina muita alta e quando há doentes do factor RH negativo  existem muitas dificuldades para encontrar voluntários deste grupo sanguíneo.“Queremos ver os nossos stock garantidos, para salvarmos muitas vidas, sobretudo das nossas crianças, tendo em conta os casos de malária e anemia neste período do ano”, concluiu Teresa Pemba.

Brigada Jovens Solidários

Ainda na quinta-feira, os membros do núcleo municipal da Brigada Jovens Solidários tomaram posse, no Soyo, para trabalhar em campanhas de doação de sangue de forma regular.
A   tomada de posse do núcleo,   constituído por cerca de 100 jovens e coordenado por Jeremias Nunes, teve  a presença do governador provincial do Zaire, Joanes André.“É preciso que se acabe com a problemática do doente estar a espera de sangue, pois, o correcto é que o sangue fique a espera do paciente”, disse Raquel da Lomba.
O coordenador local da Brigada Jovens Solidários no Soyo, Jeremias Nunes, disse que muitos jovens já aderiram de forma voluntária ao projecto, uma vez que se se sentem sensibilizados com a causa da instituição.

Tempo

Multimédia