Províncias

Humanização dos serviços é objectivo

António Capitão | Uíge

As autoridades do Uíge querem ver melhorados os serviços de assistência médica prestados pelo Hospital Geral à população local, o que levou à nomeação de novos responsáveis, em substituição de uma comissão de gestão, que há mais de seis meses dirigia o destino da maior unidade sanitária da província.

Momento em que o governador brindava com os novos responsáveis do Hospital Provincial e administradores comunais e adjuntos
Fotografia: Mavitidi Mulaza

O governador da província, Paulo Pombolo, disse que a nomeação dos novos responsáveis surge da necessidade de se dar resposta às constantes reclamações da população sobre o mau funcionamento da unidade sanitária.
“O mau funcionamento do hospital não se reflecte apenas no tratamento dos doentes ou nas consultas efectuadas nos vários serviços, mas reside fundamentalmente na postura e atitude dos profissionais de saúde colocados naquela unidade sanitária.
 Estamos convencidos da experiência, capacidade e dinâmica do novo gestor do Hospital Geral do Uíge. Ele conhece os principais problemas do hospital e acreditamos que vai empenhar-se para o melhoramento do seu funcionamento”, salientou.
O governador solicitou a colaboração dos demais membros da direcção e do colectivo de trabalhadores do Hospital Geral do Uíge, para que possam ajudar as autoridades na melhoria do funcionamento do maior hospital da província.
 Paulo Pombolo mandou a nova direcção salvaguardar a disponibilidade de medicamentos, a manutenção da higiene, assiduidade dos médicos e enfermeiros, disciplina interna e diversificação da dieta alimentar dos pacientes internados, do corpo clínico e funcionários administrativos em serviço.
“É necessário melhorar a nossa prestação no domínio da alimentação dos doentes. Como se sabe, a nutrição constitui um dos elementos fundamentais para a recuperação de muitos pacientes internados nas unidades hospitalares”, disse Paulo Pombolo.
Tomaram posse como director-geral o médico Miji Ernesto, director clínico, Diambanza Pierre, Eduardo Manzolela de Sousa, no cargo de administrador do hospital e Silvina Figueiredo, directora de enfermagem.
Na mesma cerimónia, tomaram ainda posse o novo director-geral do Hospital Sanatório do Uíge, Quiala Godi, e dos directores administrativo e de enfermagem, Marta Narciso e Pedro de Almeida.
Paulo Pombolo disse que a nomeação dos novos corpos directivos das duas unidades de saúde da província surge da necessidade de se dar resposta às constantes reclamações da população, sobre o mau funcionamento das mesmas.O novo director do Hospital Geral do Uíge, Miji Ernesto, definiu a humanização dos serviços de saúde como a principal prioridade, enquanto gestor de uma da maior unidade sanitária da província.
Considerou insuficiente o número de médicos, enfermeiros, pessoal administrativo e de apoio ao hospital, mas garantiu fazer uma gestão cautelosa dos recursos humanos existentes, com vista à melhoria da prestação de serviços de qualidade às populações da província.
“O hospital também enfrenta problemas de infra-estruturas. Algumas dependências estão a receber obras de restauro e o sistema de fornecimento de água está a ser melhorado.
Depois da reabilitação, o hospital vai ter mais espaço e beneficiar de novos equipamentos, que vão permitir melhorar os nossos serviços de atendimento ao público”, disse. Num outro despacho, Paulo Pombolo nomeou e deu posse a novos administradores comunais e seus adjuntos, chefes de departamentos e de secção.
Castelo Quilenda foi nomeado administrador comunal de Quipedro, município de Ambuíla, e tem como adjunto Sérgio José.
 Muanza Mbunga passa a dirigir a comuna do Lémbua, na Damba, e vai ser coadjuvado por Joana Saka.Para as comunas do Béu e Cuango, nos municípios de Maquela do Zombo e Quimbele, foram indicados Maria Luzito e Eliseu Mambo, respectivamente.
 Foram ainda nomeados novos chefes para os departamentos de Administração e Gestão e de Saúde Pública da Direcção Provincial da Saúde.

Tempo

Multimédia