Províncias

Igreja Tocoísta aposta no ensino superior

Joaquim Júnior | Uíge

O bispo da Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoísta), Dom Afonso Nunes, anunciou, no Uíge, que as obras de construção da Escola Superior Politécnica começam em Janeiro do próximo ano, na capital do país

Estudantes universitários da província do Uíge e arredores vão passar a ter outras opções na altura de escolher cursos de nível superior
Fotografia: Jornal de Angola

O bispo da Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoísta), Dom Afonso Nunes, anunciou, no Uíge, que as obras de construção da Escola Superior Politécnica começam em Janeiro do próximo ano, na capital do país. A instituição vai oferecer cursos de engenharias em construção civil, mecânica, informática, medicina, agronomia, economia e direito.
A infra-estrutura, a ser erguida no átrio do Complexo Missionário daquela instituição religiosa, no bairro Golf 2, em Luanda, vai contar com 40 salas de aulas, oito laboratórios e outras divisões. As obras vão ter a duração de dois anos e, nesta altura, decorrem as negociações do orçamento com a empresa construtora.
O bispo da Igreja Tocoísta revelou que as políticas administrativas da instituição religiosa que dirige prevêem transformar o Complexo Missionário de Luanda num conjunto eclesiástico espiritual e académico, obedecendo à mesma estrutura do templo, recentemente inaugurado.
“O projecto já está todo concebido. Está tudo preparado para o arranque das obras, em Janeiro de 2013. A concretização da construção desta escola superior politécnica vai ajudar os financiadores a terem mais fé naquilo que a igreja vai materializando no sector social. Estamos confiantes no sucesso do projecto”, disse.
Em declarações à imprensa, no final da audiência concedida pelo governador provincial do Uíge, Paulo Pombolo, o bispo referiu que o encontro serviu para analisar a vida social da província, no âmbito da cooperação existente entre o Governo e as Igrejas. Dom Afonso Nunes inteirou-se dos projectos do Governo Provincial, que prevê a reabilitação das estradas terciárias e secundárias, e pontes destruídas durante o conflito armado, que ainda constituem dificuldades em termos de circulação nas zonas rurais, além de outros projectos em curso nos diferentes sectores.
Durante a audiência, foi possível perceber tudo quanto tem sido o trabalho na província e as dificuldades que ainda existem, salientou. “O governador mostrou-nos que há trabalho e boas perspectivas que nos levam a encarar o futuro da província com mais esperança, e nós deixamos o nosso conselho no sentido de continuarmos nesta senda”, referiu o bispo.
D. Afonso Nunes revelou que esteve a trabalhar, recentemente, no Brasil, onde estabeleceu contactos com várias individualidades das universidades norte-americanas e de outros pontos do mundo, com perspectivas de apresentação dos vários projectos socioeconómicos que constam da agenda da igreja.
“Queremos primar pela qualidade e competência dos professores que vão fazer parte da instituição, quadros que possam corresponder às expectativas do país, razão pela qual estamos a trabalhar neste momento com técnicos de universidades de grande renome em termos do ensino superior, a nível do mundo, na elaboração de currículos e outros aspectos que podem levar uma universidade ao sucesso”, disse.
Quanto à elaboração do projecto de construção da Cidade Universitária em Mbaza Ntayi, no município de Maquela do Zombo, Uíge, D. Afonso Nunes salientou que as obras da mesma devem ter início logo após a conclusão da Escola Superior Politécnica, em Luanda.
Estamos a trabalhar neste projecto ambicioso, referiu o bispo, cuja concretização leva um pouco de tempo, tendo em conta o volume de dinheiros que o projecto necessita. “Estamos a negociar com alguns bancos no estrangeiro, mas existem ainda alguns constrangimentos que vamos procurar ultrapassar, e só depois disso é que vamos avançar. Estamos a caminhar passo a passo até alcançarmos a materialização de todos os projectos”, sublinhou.

Avanços na província

O bispo manifestou a sua satisfação pelo desenvolvimento que a província do Uíge está a conhecer em todos domínios, com a construção de várias infra-estruturas sociais e económicas, que estão a contribuir para a melhoria das condições de vida das populações locais. O líder tocoísta reconheceu que a província do Uíge, em particular a sua cidade capital, está a ganhar uma nova imagem.
“Nota-se um franco desenvolvimento. O Governo Provincial está a desenvolver um bom trabalho. Em pouco tempo, podemos notar grandes mudanças com o melhoramento das vias de acesso, que permitem uma circulação fluida, escolas e unidades sanitárias novas, entre outras infra-estruturas. Pensamos que, com mais trabalho e dedicação da equipa governamental, daqui para frente teremos uma província muito mais desenvolvida”, afiançou.
O líder tocoísta pediu maior colaboração das igrejas na passagem da mensagem às populações locais, sobre o cuidado que devem ter em relação às infra-estruturas construídas, para que estas tenham maior durabilidade e possam ajudar não só a geração actual mas também as futuras gerações.

Tempo

Multimédia