Províncias

Incumprimento das normas pode elevar casos de cólera

António Capitão | Uíge

O número de casos  de cólera na cidade do Uíge, onde foi declarado há dias um surto, pode aumentar por não estarem a ser respeitadas pelos técnicos de saúde do Centro de Tratamento da Cólera, do Hospital Geral do Uíge, as normas mínimas de gestão e controlo de doenças contagiosas, alertou, domingo, o secretário de Estado da Saúde Pública.

Autoridades sanitárias receiam aumento de casos de cólera na província do Uíge
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

José Cunha, que visitou o centro, onde estavam internados até domingo 26 doentes dos 95 notificados desde o surgimento do surto, que já registou dois óbitos, manifestou a sua preocupação com o facto de ter constatado a permanência de pessoas saudáveis na sala onde estão doentes, sem a devida protecção.
O incumprimento de procedimentos de tratamento e manuseio dos doentes pode, na opinião do responsável, elevar o número de pessoas infectadas e transformar a principal unidade sanitária da cidade no grande foco de contágio. “Estou insatisfeito como os técnicos de saúde destacados para a abordagem deste surto de cólera, pelo facto de não estarem a observar as normas mínimas”, reiterou o secretário de Estado para a Saúde Pública, admitindo que, se não for respeitado à letra o protocolo relativo ao atendimento de casos de cólera, “não vamos conseguir dar resposta positiva a esta situação e os 90 casos até aqui registados podem duplicar nos próximos dias”.
O secretário de Estado viajou para a cidade do Uíge com uma equipa de especialistas em Saúde Pública e Microbiologia, depois de a ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, ter estado, há dias, na localidade, onde prometeu enviar, a partir de Luanda, técnicos para ajudarem a controlar a doença e remédios para o reforço da capacidade logística existente.
Embora não se saiba o período de permanência na cidade do Uíge, os técnicos vão ajudar os colegas destacados no Uíge no controlo e eliminação do surto de cólera. O governador da província do Uíge, Pinda Simão, deu ênfase à celeridade com que a ministra respondeu à aflição do Governo Provincial do Uíge com o envio de uma equipa de especialistas para "avaliar o que realmente se passa no terreno”.
“Devemos elogiar a prontidão do Ministério da Saúde", declarou o governador Pinda Simão, sublinhando que os técnicos vão encontrar "soluções para o estancamento do surto de cólera e ajudar as autoridades sanitárias locais a identificar os principais focos da doença".
O secretário de Estado para a Saúde Pública confirmou que a sua deslocação ao Uíge surge em cumprimento de uma orientação da ministra Sílvia Lutucuta. Lembrou que o Ministério da Saúde já tinha mobilizado uma equipa de técnicos, reforçada domingo com a chegada de um novo grupo, com o objectivo de aumentar a vigilância epidemiológica e detectar e classificar eventuais casos de cólera.

Tempo

Multimédia