Províncias

Instituto Agrário pode encerrar internato

António Capitão| Uíge

A direcção do Instituto Médio Agrário do Negage (IMAN), no Uíge, podebencerrar o internato da escola por falta de recursos financeiros para suportar as despesas correntes relacionadas com a alimentação dos 102 alunos residentes, anunciou o responsável da instituição.

Luís Vunji referiu que a falta de meios financeiros tem impedido a manutenção dos serviços de água, energia eléctrica, limpeza e de higiene do edifício, com capacidade para albergar mais de 260 alunos.
O director do Instituto Médio Agrário do Negage, que apresentou o estado de funcionamento da escola ao governador provincial, Paulo Pombolo, disse que a medida está a ser motivada pela redução do orçamento da instituição, na ordem dos 95,7 por cento.
“O valor remanescente não permite que os gestores do Instituto Médio Agrário do Negage honrem os seus compromissos com terceiros”, disse Luís Vunji, que salientou que a instituição recebia 14 milhões de kwanzas por ano contra os actuais 600 mil kwanzas, verba que nem sequer permite custear as despesas relacionadas com as actividades administrativas e a aquisição de material gastável ou de uso corrente.
O responsável adiantou que a instituição está a enfrentar várias dificuldades, necessitando urgentemente de obras de restauro nos edifícios.
O presidente da comissão de pais e encarregados de educação do Instituto Médio Agrário do Negage, Sebastião Amaral, disse que o grupo e a direcção da escola trabalham no sentido de encontrarem soluções para manter o internato aberto.
Adiantou que uma das medidas pensada pelas partes tem a ver com a necessidade de se obrigar os pais dos alunos a pagarem uma mensalidade para custear as despesas dos diferentes serviços nas escolas.
“A direcção da escola propôs-nos um pagamento mensal de 13 mil kwanzas e nós concordamos com a medida de contribuirmos, mas ainda achamos que o valor proposto é ligeiramente elevado”, disse para adiantar que a ideia seja uma participação de dez mil kwanzas.
O Instituto Médio Agrário do Negage funciona com 14 salas de aulas, quatro laboratórios, internato com capacidade para 264 alunos e um campo de 86 hectares, que acolhe as aulas de práticas agrícolas. O IMAN, que forma alunos nas especialidades de produção vegetal, produção animal, gestão agrícola e recursos florestais, no presente ano lectivo, matriculou 455 alunos, estando o processo de ensino e aprendizagem assegurado por 55 professores, dos quais 12 expatriados.
Durante a visita à instituição, o governador do Uíge, Paulo Pombolo, manifestou-se preocupado com o destino dos 365 alunos formados no Instituto Médio Agrário do Negage.
Paulo Pombolo lamentou o facto da maior parte destes técnicos estarem desempregados, enquanto outros são enquadrados em sectores que nada têm a ver com a sua formação.
O governante lamentou ainda o facto dos fazendeiros e responsáveis das cooperativas e associações de camponeses não contratarem estes técnicos, que estariam a dar um grande contributo técnico e científico na melhoria da produção agrícola.
O governador Paulo Pombolo sublinhou que o aproveitamento dos conhecimentos técnicos dos alunos saídos do IMAN poderia ajudar na transformação da actividade agrícola de subsistência, ainda praticado localmente.

Tempo

Multimédia