Províncias

Instituto Kimpa Vita e academia privada assinam acordo para cursos superiores

António Capitão | Uíge

A Universidade Kimpa Vita (UKV) e a Academia Aberta de Angola (ACABA) assinaram, na terça-feira, no Uíge, um protocolo de cooperação, que permite o ensino universitário em pós-graduação na sétima região académica.

Pró reitor da Universidade Mbunga David e Glória Água da Academia Aberta de Angola no momento em que rubricavam o acordo
Fotografia: António Capitão

A Universidade Kimpa Vita (UKV) e a Academia Aberta de Angola (ACABA) assinaram, na terça-feira, no Uíge, um protocolo de cooperação, que permite o ensino universitário em pós-graduação na sétima região académica.
O acordo foi assinado pelo pró-reitor da Universidade Kimpa Vita, Mbunga David, e por Glória Águas, da Academia Aberta de Angola.Mbunga David disse que o protocolo constitui uma ferramenta fundamental para o ensino universitário de qualidade na sétima região, constituída pelas províncias do Uíge e do Kwanza-Norte, anunciando que os cursos vão ser administrados, há distância, por docentes da ACABA.
“A formação em pós-graduação é uma das principais preocupações da Universidade Kimpa Vita, tendo em conta a necessidade da melhoria do nível académico do seu corpo docente e da qualidade de ensino na sétima região académica”, declarou, acrescentando que “se trata de uma soberana oportunidade para todos os que puderam efectuar os mestrados no exterior do país”.  O protocolo assinado, disse, permite prestar um ensino universitário de qualidade e de responsabilidade, que vai contribuir para o desenvolvimento da província, em particular, e do país no em geral.
A representante da ACABA, que salientou os esforços empreendidos pela Universidade Kimpa Vita, declarou que o acordo de cooperação “vai permitir potenciar a região com quadros de alto nível académico, que vão contribuir para a melhoria do funcionamento das instituições públicas e do ensino universitário”. “É missão da Academia Aberta de Angola e da Universidade Kimpa Vita desenvolver e potenciar o capital humano com conhecimentos académicos sólidos, através das novas técnicas de ensino e das novas tecnologias, no caso do E-learning, que vão facilitar o processo de ensino e de aprendizagem à distância”, frisou. 
A directora provincial da educação, Ermelinda Samuel, elogiou a realização dos cursos de mestrado, adiantando que “este estágio do ensino universitário vai permitir a elevação do nível académico dos professores da província e contribuir para o exercício da actividade de docência com profissionalismo”.“Há muito que classe universitária da província vinha solicitando a criação de cursos de pós-graduação, tendo em conta que há mais de seis anos que começaram a surgir os primeiros licenciados pelo ISCED do Uíge e muitos deles estagnaram nesse estágio de ensino”, disse.
O professor universitário Manuel Bengui afirmou que a criação dos cursos em pós-graduação é uma oportunidade para decentes e discentes aumentarem os níveis profissionais, pois para existir um sistema de ensino de qualidade é necessário que haja professores altamente qualificados. 
A ocasião serviu também para o lançamento oficial do portal da Instituto Superior Politécnica do Uíge (ESPU), um instrumento importante que vai facilitar a administração das aulas à distância e o contacto dos formandos com a Universidade e com os professores.

Tempo

Multimédia