Províncias

Jovens com mais conhecimentos sobre cidadania

Valter Gomes | Uíge

Estudantes da Faculdade de Direito da Universidade Kimpa Vita, no Uíge, receberam, na semana passada, esclarecimentos sobre a importância da cidadania e os desafios eleitorais, durante o II Ciclo de Palestras promovido pela Associação de Estudantes da instituição de ensino superior.

Evento juntou centenas de estudantes e docentes e teve como objectivo elucidar os participantes sobre o valor social da cidadania
Fotografia: Mavitidi Mulaza-Uíge|Edições Novembro

O evento, que juntou centenas de estudantes e docentes, teve como objectivo inculcar na mente dos participantes o valor social da cidadania, os passos a seguir no exercício do dever da cidadania, a conquista da cidadania, bem como os desafios eleitorais que se avizinham a 23 de Agosto do ano em curso.
Ao dissertar sobre o tema “A conquista da cidadania como fonte delegitimidade no cumprimento do acto eleitoral”, a estudante do quarto ano do Curso de Direito Constitucional Madalena Filipe Tunga disse que é na base da cidadania, como qualidade determinante, que se encontra a essência de legitimidade durável entre governados e governantes.
A prelectora considerou que a conquista da cidadania e a salvaguardados seus ganhos constituem uma verdadeira essência e ferramenta quelegitima o cumprimento do exercício de direito de sufrágio, sendo oúnico modo democrático de acesso e do exercício do poder público, numa sociedade democrática.
O estudante do quinto ano do Curso de Direito Constitucional Daniel Fernando Mungula, que dissertou sobre  “Cidadania como valor social”,preconizou a preservação dos direitos e deveres dos cidadãos, consagrados na Constituição da República de Angola.
O prelector apontou como direitos e deveres dos cidadãos a vida, saúde, educação, igualdade de direitos e deveres entre homens e mulheres, respeitar os direitos dos outros cidadãos, cumprir as leis consagrados na constituição, proteger a natureza, cooperar com as autoridades, o direito ao voto, bem como proteger o património público do país.
Ao falar sobre  “Eleições e o voto consciente”, o prelector José Raimundo Almeida Teca, esclareceu que o voto só é consciente se o eleitor conhecer o candidato, estiver  informado sobre o seuvalor e o projecto de governo. “Devemos votar em políticos com propostas voltadas para a melhoria da qualidade de vida da colectividade”, frisou José Raimundo Almeida Teca que acrescentou:
“Um acto cívico deve ter como principais actores e destinatários os cidadãos, cuja dignidade, em termos de condições de vida e de justiça, deve ser assegurada”.
José Raimundo Almeida Teca apelou à juventude e à população em geral para depositarem um voto consciente, certo e seguro, garantindo o bem-estar, segurança da soberania e o desenvolvimento do país.

Conjuntura política e social

O vice-decano para área académica da Faculdade de Direito, Jeremias André, que orientou a palestra, realçou que a cidadania versa o exercício de direitos e deveres cívicos, políticos e sociais, para se realizar um bem comum: “É nesta medida que os estudantes do quarto e quinto anos do Curso de Direito estruturaram temas actuantes e actuais sobre a vida dos cidadãos.”
O académico referiu que a palestra, com temas ligados à cidadania, realizou-se num momento peculiar pois o país dentro de poucos mesesvive um período de eleições, momento em que toda a população, com idade activa, é chamada para exercer a sua cidadania, escolhendo quem possa dirigir os destinos do país.
“A comunidade académica é parte integrante da sociedade civil, dai a importância na promoção de debates sobre as grandes questões da conjuntura política e social”, concluiu Jeremias André.
Participaram na palestra estudantes da Universidade Kimpa Vita,docentes, académicos, investigadores científicos e jovens locais.

Tempo

Multimédia