Províncias

Jovens da vila do Songo receberam casas sociais

José Bule e Valter Gomes | Songo

Quando o governador provincial Paulo Pombolo procedeu à entrega de 57 casas sociais aos novos proprietários, no projecto habitacional do município do Songo, no Uíge, a alegria era visível no rosto do jovem Nunes Capitão Resolve, de 37 anos.

Jovens ligados à função pública entre as prioridades na aquisição de casas no novo projecto habitacional do município do Songo
Fotografia: José Bule | Songo

Depois de receber as chaves e os documentos da residência T3, o professor agradeceu ao Governo pela implementação de vários projectos habitacionais em curso em todas as localidades da província e do país.
“Sinto-me muito satisfeito por concretizar o sonho da casa própria. Antes vivia com a família numa casa arrendada. As dificuldades eram muitas e era difícil continuar a pagar rendas ao senhorio, mas, agora, alcancei um dos grandes objectivos da minha vida”, disse.  Na ocasião, o governador provincial entregou as chaves a 56 outros jovens cidadãos que foram unânimes em louvar os esforços e atenção que o Executivo tem vindo a prestar à juventude, na solução paulatina dos seus problemas.
As residências são pagas no sistema de renda resolúvel, durante um período de 25 anos, cujo valor mensal está fixado em 11 mil kwanzas.
O complexo habitacional do Songo, localizado a poucos metros da entrada da vila municipal, está devidamente urbanizado. Além das 57 residências já concluídas e entregues aos inquilinos, decorrem obras de construção de mais 143 residências.

Centro comunitário


No mesmo dia, o governador provincial entregou à juventude local um centro comunitário construído de raiz e devidamente apetrechado com meios técnicos e informáticos para facilitar a formação profissional e proporcionar momentos de recreação aos jovens residentes na localidade. O centro, construído num espaço de 400 metros quadrados, está localizado no bairro Baú II e possui, entre outras áreas, uma sala de informática com capacidade para 16 computadores, biblioteca, salão de beleza, área técnica, sala de reuniões, área administrativa, cozinha, refeitório e recepção. Mais de 15 jovens ganharam o seu primeiro trabalho no centro.
O presidente do Conselho Municipal da Juventude do Songo, Osvaldo Pedro Justo, elogiou o Governo pelo investimento feito para beneficiar a juventude. “É um espaço que vai ajudar a ocupar o tempo livre dos jovens.” O governador provincial do Uíge inaugurou o novo Palácio da Administração Municipal do Songo, no âmbito das comemorações dos 40 anos da Independência Nacional.
Com quatro quartos, duas salas, casas de banho, varanda e um jango, o edifício foi construído de raiz num espaço com cerca de 300 metros quadrados e apetrechado com mobiliários de ponta, no quadro do programa da administração municipal que visa a melhoria das condições de acomodação dos seus funcionários.
No Songo, as instalações do antigo comando municipal da Polícia Nacional sofreram obras de reabilitação, ampliação e modernização, a fim de proporcionar melhores condições de acomodação aos seus efectivos, bem como facilitar o seu desempenho nas operações que visam garantir a ordem e tranquilidade pública na região.
A nova infra-estrutura possui, entre outros compartimentos, casernas, salas de reuniões, gabinetes dos comandantes, secretaria, secções, armazém e espaços para a realização de paradas militares.

Unidade e respeito mútuo


No acto de massas que juntou milhares de habitantes, entre autoridades tradicionais, eclesiásticas, juventude e população em geral, Paulo Pombolo apelou à unidade. “Sem unidade dificilmente se atinge o desenvolvimento preconizado. A paz que conquistamos em 2002 deve ser preservada, consolidada com a unidade e compreensão de todos, rumo ao desenvolvimento. Por isso os 40 anos da Independência devem servir de reflexão sobre a trajectória dos angolanos, os ganhos já alcançados e perspectivar o futuro que o país pretende”, apelou.
“Foi graças à Independência Nacional, liberdade, paz e a unidade nacional que a população do Songo conseguiu ganhar os vários empreendimentos sociais que o Governo colocou à sua disposição, disse Adelina Figueiredo Pinto, que acrescentou: “Portanto, a independência, a paz e a reconciliação nacional não podem ser beliscadas, por isso devemos todos estar unidos para o desenvolvimento do país”.
Paulo Pombolo incentivou os camponeses da região no sentido de aumentarem os níveis de produção agrícola, para contribuírem de forma directa na diversificação da economia e melhorar os níveis de sustentabilidade das famílias.
“Cada um no seu local deve fazer o que sabe para o sustento das famílias. Temos a plena certeza que não é possível conseguirmos resolver tudo de uma só vez, vamos continuar a trabalhar paulatinamente, contando com o apoio da população, para que seja possível alcançarmos os objectivos preconizados”, disse.
A administradora municipal do Songo, Adelina Figueiredo Pinto, disse que a população está satisfeita com os ganhos alcançados nos últimos anos, que contribuem significativamente na melhoria das condições de vida das populações.
“A construção de escolas, hospital, postos e centros de saúde, sistemas de abastecimento de água potável e de fornecimento de energia eléctrica, e as acções de melhoria das vias de acesso são as principais obras que asseguram o crescimento equilibrado do Songo”, concluiu Adelina Figueiredo Pinto.

Tempo

Multimédia