Províncias

Jovens formados em várias especialidades

Valter Gomes| Uíge

Um grupo de 250 jovens concluiu, no Centro de Formação Profissional São João Calábria, na província do Uíge, o curso profissional nas especialidades de canalização, economia doméstica, electricidade e Informática. 

Demonstração de um dos equipamentos de electricidade utilizados pelos formandos durante as aulas no centro São João Calábria
Fotografia: Eunice Suzana

Dirigido por oito formadores angolanos, o curso com duração de nove meses absorveu jovens que se dizem dispostos a contribuir para o desenvolvimento do país e em aprticular da província.
Entre os finalistas, consta o pequeno Edivaldo Filipe Augusto, de 11 anos de idade. Visivelmente feliz, disse ter aprendido a digitalizar textos, desenhar e inserir programas no computador, além de criar ficheiros importantes para o uso das novas tecnologias de informação.
Apesar de ter sido o mais novo da turma, Edivaldo Filipe Augusto foi considerado o aluno mais destacado entre os 60 matriculados no curso de Informática.
Depois de receber o certificado de fim de curso, Edivaldo Augusto disse que valeu a pena ter percorrido longas distâncias a pé, da sua residência, no bairro Papelão, até ao Centro, localizado no bairro Cacuiuia, arredores da cidade do Uíge.
“Sempre quis aprender Informática e por isso pedi ao meu pai para me matricular neste Centro de Formação Profissional.
No Centro profissional aprendi muita coisa: como ligar o computador, abrir a página para escrever documentos, criar novos programas, inserir ficheiros e desenvolver outras técnicas importantes para a minha vida profissional”, disse.

Oportunidades de emprego

Com os diplomas na mão, os recém-formados solicitaram ao Governo Provincial do Uíge  e sociedade civil maior abertura de oportunidades de emprego, com vista a melhor inserção de novos técnicos no mercado de trabalho.
“Queremos demonstrar as experiências práticas adquiridas nos vários cursos ministrados nesta instituição, porque o nosso desejo é contribuir para o desenvolvimento da província e do país”, disseram.
Hernâni João, 33 anos, concluiu o curso de electricidade e disse que agora está devidamente preparado para contribuir, com o seu saber, para o desenvolvimento da província.
 Gaspar David disse acreditar que as ferramentas adquiridas no curso de canalização vão servir para construir o seu futuro e o da sua família. “Antes mesmo de terminar a formação já recebia muitos convites para realizar trabalhos em algumas residências e instituições públicas, facto que me alimenta de muita esperança e coragem de que, com a formação e com o certificado em posse, o futuro é promissor”, acrescentou. O jovem vive no município do Negage e, enquanto decorria a formação, acordava todos dias às 6h00 para apanhar o táxi e percorrer 40 quilómetros até ao Centro de Formação.
 Hoje considera-se um homem feliz, porque conseguiu concluir a formação que lhe deu direito a um diploma, um documento que diz ser valioso para exercer a sua actividade profissional.
O Centro S. João Calábria foi fundado em 1999 e começou a ministrar cursos profissionais apenas em 2001. Durante 13 anos, a instituição já formou mais de cinco mil jovens.
  A instituição possui quatro salas de aulas que funcionam em dois períodos, uma oficina para práticas de Electricidade e Canalização, uma cozinha devidamente equipada com fogões e fornos industriais, e uma sala para decoração.

Objectivo do centro

O director do Centro, Miguel José Cachequele, disse que o principal objectivo da criação do Centro é contribuir para a formação de jovens nos domínios profissionais, tornando-os capazes de compreender a realidade, tendo em vista a promoção e a emancipação do homem no mercado de trabalho.
Miguel Cachequele afirmou que o Centro estimula a juventude no sentido de apostarem, cada vez mais, na formação técnica e profissional, desenvolvendo habilidades e conhecimentos que os tornem capazes de começar qualquer tarefa prática, criando micro empresas.

Profissão é chave do sucesso

Ao encerrar o ciclo formativo, o director provincial do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP), Alexandre Betuel, afirmou que a formação profissional dos jovens constitui a a chave do sucesso, da prosperidade, da continuidade da vida e é também o caminho de todas as opções que concorrem para o desenvolvimento de qualquer sociedade.
“O encerramento do curso profissional demonstra uma mais-valia, porque o Executivo necessita de jovens capacitados para os inserir nos lugares certos, ali onde carece de profissionais dos diversos ramos para o bom funcionamento dos serviços sociais. Por isso, a vossa coragem, audácia, tenacidade e vontade de vencer os obstáculos na formação devem ser demonstrados nos locais de trabalho, por onde forem colocados”, disse.
Alexandre Betuel lembrou que o Executivo colocou os jovens no centro das prioridades, dando-lhes maiores oportunidades de inserção no mercado de trabalho, assim como na sua formação profissional e académica. “Quem não apostar na sua formação profissional ou académica não vê o seu futuro devidamente realizado. vamos continuar neste sentido”, concluiu.

Tempo

Multimédia