Províncias

Jovens no Negage recebem casas sociais

António Capitão | Negage

O sonho de possuir casa própria está a tornar-se realidade para jovens do Negage, cerca de 37 quilómetros da cidade do Uíge. Na semana finda, mais 36 jovens receberam as chaves de residências sociais, construídas no âmbito do programa do Executivo angolano de apoio à esta camada da população.

Governo cria condições para melhores condições de habitabilidade no âmbito do programa do Executivo de apoio à juventude
Fotografia: Filipe Botelho|Negage

O sonho de possuir casa própria está a tornar-se realidade para jovens do Negage, cerca de 37 quilómetros da cidade do Uíge. Na semana finda, mais 36 jovens receberam as chaves de residências sociais, construídas no âmbito do programa do Executivo angolano de apoio à esta camada da população.
Coordenado pelo Ministério da Juventude e Desportos, o projecto foi implementado no bairro da Capopa, com casas que comportam sala comum, três quartos, cozinha, casa de banho e varanda.
As casas reservam ainda um espaço livre para a construção do muro de vedação do quintal, com capacidade para estacionamento de viaturas e outras necessidades.
Ao receber a chave da casa número sete, das mãos da vice-governadora do Uíge para o sector político e social, Maria Fernanda da Silva, a jovem Marta Laurindo não teve muitas palavras para expressar a satisfação, dizendo apenas que “está bastante feliz”.
José Joaquim, outro beneficiário, vivia numa casa arrendada e sem condições mínimas para garantir boa comodidade à família que sustenta.
O funcionário público e pai de três filhos decidiu melhorar as suas condições de vida, tendo-se candidatado à obtenção de uma moradia no bairro social da juventude, construído na cidade do Negage.
Feliz por receber a chave da casa, que tanto desejava, José Joaquim disse estar concretizado um dos maiores sonhos: ter casa própria, condigna e numa zona urbanizada.
O jovem enalteceu a acção do Executivo virada para a concessão de condições de vida mais dignas à juventude, tendo destacado igualmente a transparência observada no critério de selecção e apuramento dos beneficiários. Nsungu Daniel é um professor que vivia numa casa arrendada por 15 mil kwanzas mensais. Quando o pagamento se atrasasse recebia logo o recado do senhorio de que seria desalojado. Hoje, com própria casa, admite que vai ter noites mais tranquilas.
“Estou muito feliz por beneficiar desta casa. Tenho mulher e dois filhos e mudávamos constantemente de bairro, porque não tínhamos a nossa própria casa. Agora, vou poupar mais o meu salário”, afirmou Nsungu Daniel.

Energia e água garantidas

O administrador  adjunto do Negage, Jonas João, avançou que está prevista a instalação, em breve, de um sistema de fornecimento de água no novo bairro. Quanto ao fornecimento de energia eléctrica, o administrador aconselhou os jovens a celebrarem contratos com a direcção da Empresa Nacional de Electricidade (ENE), para resolução deste problema.
“Nesta área está instalado um posto de transformação, que fornece energia eléctrica às residências e infra-estruturas sociais circunvizinhas”, disse Jonas João.
Nas proximidades do novo bairro existem várias infra-estruturas sócio-económicas, com realce para duas escolas, uma do ensino primário e outra do primeiro e segundo ciclos do ensino secundário.
“Não vai ser necessário que os nossos filhos se desloquem do bairro para estarem na escola. A escola primária e a do primeiro e segundo ciclo do ensino secundário encontram-se próximas de casa”, disse José Joaquim.  A segurança para os moradores do bairro social da juventude na Capopa está garantida, visto que o projecto localiza-se junto do comando de divisão da Polícia Nacional do Negage.
Junto às residências está instalada uma esquadra, que vai permitir um policiamento de proximidade. “Não temos motivos para ter medo dos níveis de criminalidade que têm estado a crescer, nos últimos dias, na nossa cidade. Aqui temos esquadra policial próxima de casa. Acreditamos que nenhum meliante se vai atrever a cometer crimes nesta zona”, prevê Nsungu Daniel.
José Joaquim destacou, por sua vez, a instalação de uma rede de iluminação pública na região como outro factor de segurança, visto que “os amigos do alheio aproveitam sempre as zonas escuras para protagonizarem as suas acções. Felizmente, aqui não lhes é dada esta possibilidade”, disse o novo morador do Bairro da Juventude erguido na cidade do Negage .

Tempo

Multimédia