Províncias

Mais técnicos para o mercado do trabalho

Joaquim Júnior | Uíge

Os jovens que concluíram, sexta-feira, cursos profissionais em várias especialidades no Centro de Formação Profissional “1º de Maio”, no Uíge, estão registados na Unidade de Interacção de Mão-de-Obra (UIMO) e no Centro de Emprego para facilitar a sua inserção no mercado de trabalho,

Jovens concluíram ciclo de formação
Fotografia: Arimateia Baptista

garantiu ontem o chefe dos serviços do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP).
Alexandre Betuel Nicolau, que falava no encerramento do ano formativo do centro, indicou que no âmbito das estratégias de estágios profissionais e ingresso no primeiro emprego, foram feitos contactos com a UIMO, que funciona nas instalações dos Serviços Integrados de Atendimento ao Cidadão (SIAC), para a inserção dos recém- formados numa base de dados. Com esse processo, explicou, os empregadores interessados encontram facilmente os funcionários qualificados, além de estarem também registados no Centro de Emprego do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional, (INEFOP). O chefe de departamento de auto-emprego da Administração Pública, Emprego e Segurança Social do Uíge, Albino Augusto, disse que o Executivo tem feito esforços na formação técnico-profissional de jovens, através dos pavilhões de artes e ofícios  criados nos municípios para facilitar a sua inserção no mercado de emprego.
Albino Augusto pediu aos jovens formados nos pavilhões de artes e ofícios a aprimorarem os seus conhecimentos para se imporem no mercado cada vez mais competitivo.
Os jovens solicitaram ao Governo mais diversificação da formação, com a inclusão de  cursos como cabeleireiro, música, frio, electricidade-auto e contabilidade informatizada.
O ciclo de formação teve a duração de nove meses e contou com  180 formandos que se especializaram nas áreas de canalização, culinária, electricidade, informática e serralharia.

Tempo

Multimédia