Províncias

Maquela do Zombo carece de enfermeiros

O município de Maquela do Zombo, a 310 quilómetros da cidade do Uíge, sede capital da província com o mesmo nome, necessita de pelo menos 300 novos enfermeiros, para cobrir a rede sanitária da circunscrição, informou ontem o director do hospital local.

Número de enfermeiros revela-se insuficiente para atender número de doentes
Fotografia: Maria Augusta

O município de Maquela do Zombo, a 310 quilómetros da cidade do Uíge, sede capital da província com o mesmo nome, necessita de pelo menos 300 novos enfermeiros, para cobrir a rede sanitária da circunscrição, informou ontem o director do hospital local.
Falando à Angop, António Maiemuena referiu que o município tem uma população estimada em 550 mil habitantes e apenas 62 enfermeiros, que funcionam em cinco centros e 14 postos de saúde.
Deu a conhecer que o único hospital municipal existente na sede do município tem capacidade de internamento de 110 pacientes.
Precisou que duzentas a trezentas pessoas são consultadas diariamente no hospital municipal, com várias patologias.
Informou, por outro lado, que 19 pessoas morreram nos últimos oito meses no hospital municipal, vítimas de várias doenças. />Apontou a malária, as doenças diarreicas e respiratórias agudas e a má nutrição como as principais doenças que predominam no município de Maquela do Zombo.

Casos de lepra crescem em seis meses

Quarenta e um casos de lepra, 29 dos quais novos, foram registados de Janeiro a Julho deste ano, na província do Uíge, informou ontem o chefe da secção de saúde pública de luta contra a lepra, Lopes Paca.
Falando à Angop, o responsável explicou que 20 desses doentes tiveram melhorias significativas graças ao empenho dos formados em atender os casos na região.
Lopes Paca apontou a sede capital da província como a área mais atingida pela doença, acrescentando que os doentes de lepra têm condições médicas e medicamentosas garantidas.

Tempo

Multimédia