Províncias

Máquinas agrícolas chegam a Milunga

Walter Gomes | Milunga

Os camponeses do município de Milunga, na província do Uíge, organizados em duas cooperativas, adquiriram máquinas de lavoura e outros equipamentos para o desenvolvimento da agricultura, disse, ontem, o director municipal da Agricultura.

Além de instrumentos de trabalho os camponeses estão a receber também sementes e fertilizantes para aumentarem a produção
Fotografia: Dombele Bernardo

Joaquim Chitas disse ao Jornal de Angola  que as duas cooperativas, com 254 membros, mais as 116 associações de camponeses, num total de 4.515 agricultores, prometem trabalhar de forma  afincada na diversificação das culturas e no aumento  dos níveis de produção.
Joaquim Chitas informou terem sido preparados 14 mil hectares  para o desenvolvimento da agricultura na sede municipal e nas comunas de Macocola, Massau e Macolo.
Com esta quantidade de hectares, disse Joaquim Chitas, os agricultores prevêem colher mais de 30 mil toneladas de produtos  no final da temporada.  Em relação à época passada, disse o responsável municipal da Agricultura, prevê-se um aumento de mais de 15 mil toneladas de produtos agrícolas.
O director municipal da Agricultura referiu que neste momento os agricultores ainda colhem grandes quantidades de produtos agrícolas cultivados na época anterior. A mandioca, batata-doce, banana, pevide, feijão, abóbora e o milho são os produtos mais cultivados. As dificuldades, de acordo Joaquim Chitas, prendem-se com o escoamento dos produtos, devido ao estado das estradas.  Além da produção agrícola, os camponeses de Milunga estão empenhados no fomento da pecuária. O município controla 59 criadores de gado, com 1.383 cabeças de gado bovino, 14.017 caprino, 5.102 suíno, 8.339 ovinos e mais de 25 mil aves diversas.
A administradora municipal do Milunga  disse que, nesta fase em que o país atravessa dificuldades, todas as atenções estão viradas para a diversificação da economia. Delfina António Henriques referiu que as potencialidades agrícolas, florestais e hídricas da localidade permitem alcançar níveis aceitáveis de desenvolvimento. “Estamos a desenvolver a agricultura mecanizada para facilitar e melhorar a produção agrícola nas localidades e a Administração Municipal está a distribuir instrumentos de trabalho e sementes melhoradas aos camponeses”, disse Delfina António Henriques.
Quanto à inacessibilidade das vias, a administradora municipal tranquilizou a população e encorajou os camponeses a continuarem a produzir  mais, enquanto a administração local do Estado e o Governo Provincial procuram soluções   para a reparação das estradas secundárias e terciárias de Milunga. “Temos algumas dificuldades de acesso às comunas de Macolo e Massau, devido às chuvas diárias”, disse Delfina Henriques.

Tempo

Multimédia