Províncias

Maternidade tem falta de salas de internamento

António Capitão| Uíge

A chefe de secção de ginecologia da maternidade do Uíge afirmou, no fim-de-semana, que são necessárias mais salas de parto e de internamento para fazer face ao número crescente de mulheres que acorrem diariamente àquela unidade hospitalar.

A chefe de secção de ginecologia da maternidade do Uíge afirmou, no fim-de-semana, que são necessárias mais salas de parto e de internamento para fazer face ao número crescente de mulheres que acorrem diariamente àquela unidade hospitalar.
Ilda Tombo disse que a unidade tem apenas 60 camas, onde são realizados, em média, 30 partos dia. “É urgente que se amplie a maternidade do hospital provincial e que se construam mais ou salas de parto noutras localidades para se diminuir o fluxo de doentes que se regista aqui”, sublinhou.
Devido a esta situação, referiu, a instituição é obrigada a colocar duas parturientes na mesma cama.
Ilda Tombo revelou que, este ano, até Junho foram realizados 5.876 partos, 176 dos quais nados mortos.  O número de nados mortos, frisou, deve-se ao facto de muitas mulheres resolverem dar à luz em casa.
A enfermeira lamentou também que a maternidade do hospital do Uíge tenha apenas 60 enfermeiros.

Tempo

Multimédia