Províncias

Medidas de segurança no parto tratadas no município do Bembe

Valter Gomes | Bembe

A repartição municipal de saúde no Bembe, província do Uíge, promoveu, entre segunda e quarta-feira, um seminário de capacitação sobre as medidas de segurança na realização dos partos tradicionais nas comunidades.

Agentes comunitários e parteiras tradicionais reforçam a qualidade dos serviços
Fotografia: Manuel Distinto

A repartição municipal de saúde no Bembe, província do Uíge, promoveu, entre segunda e quarta-feira, um seminário de capacitação sobre as medidas de segurança na realização dos partos tradicionais nas comunidades.
O encontro, que contou com a participação de 38 parteiras tradicionais oriundas de diversas localidades do município, visou conceder alguma qualidade e capacidade eficiente às mulheres para assegurar a assistência no trabalho de parto nas comunidades.
O supervisor do departamento provincial de promoção de saúde, Jorge Pedro, pediu maior empenho e responsabilidade às parteiras tradicionais durante a assistência de partos nas localidades, pautando pela deontologia, respeito e princípios do exercício ora aprendidos.
Salientou que acções como estas visam estabelecer medidas de prevenção e segurança contra os vários riscos de parto nas comunidades, bem como a fácil identificação das complicações manifestadas por mulheres grávidas e a uniformização dos trabalhos de partos, tendo em conta as normas estratégicas estabelecidas pelo Executivo para a erradicação das dificuldades que as parturientes enfrentam nas localidades.
Jorge Pedro avançou que a formação destas vai continuar, uma vez que a meta preconizada pela direcção provincial da Saúde é de atingir mais de 250 parteiras tradicionais e 150 agentes comunitárias em cada município, no sentido de facilitar as dificuldades das­ ­parturientes das zonas mais distantes das unidades sanitárias. No evento, as participantes abordaram o perfil da parteira tradicional na comunidade, relação da parteira tradicional com a estrutura de saúde, conhecer os sinais de gravidez, as complicações de auto risco obstétrico nas mulheres grávidas, bem como a vacinação das mulheres gestantes, o parto normal e as consultas pré-natais.

Papel preponderante

O administrador municipal do Bembe, José Bunga Alberto, reconheceu o papel preponderante que as parteiras tradicionais têm vindo a desempenhar a nível das comunidades, visto que assistem o maior número de partos destas localidades, mesmo sem equipamentos adequados para o efeito. José Alberto aconselhou os participantes a seguirem as normas divulgadas, com destaque para o respeito e a obediência no seio das populações.
Disse que o governo provincial adoptou vários programas de formação não só para as parteiras tradicionais, como também para os agentes comunitários a fim de reforçarem a qualidade na prestação dos serviços de saúde na região.
No fim do encontro, presenciado por membros do governo local e autoridades tradicionais, as participantes foram contempladas com kits de assistência de partos tradicionais nas localidades.

Tempo

Multimédia