Províncias

Melhorias na circulação rodoviária

Valter Gomes | Uíge

Para garantir uma circulação condigna de pessoas e bens na província do Uíge, o Governo Provincial tem vindo a concretizar vários projectos de âmbito central e local, ligados à melhoria das estradas principais, secundárias e terciárias, disse ontem o  director provincial do Urbanismo e Habitação.

Objectivo do programa de reabilitação de estradas é facilitar as trocas comerciais e o escoamento dos produtos agrícolas
Fotografia: João Gomes

Seluyeki Manuel referiu que no âmbito da segunda fase das obras de reabilitação,a terraplenagem e asfaltagem das estradas da província é realizada em 14 dos 16 municípios do Uíge.
“Temos dez localidades com as obras completamente concluídas, estando nesta altura em curso a terraplenagem e asfaltagem de estradas em quatro  municípios”, disse. Entre as estradas em reabilitação constam as que ligam os municípios de Sanza Pombo ao município dos Buengas, de Alfândega para Cangola, do Uíge ao Songo e de Lucunga à sede municipal do Bembe.
As ruas dos bairros Pedreira, Mbemba Ngango e Popular beneficiaram de novo tapete asfáltico, enquanto na via que liga a cidade ao Aeroporto Manuel Quarta Punza foi construída uma nova faixa de rodagem, disse Seluyeki Manuel.
“Aqui as obras não param. A reabilitação do troço que liga o triângulo da Feira Municipal do Uíge até à rotunda do Hospital Central, com cerca de três quilómetros, já tem concluídos 700 metros”, concluiu Seluyeki Manuel.

ISCED precisa  de  docentes

O Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED) do Uíge necessita de 20 salas de aulas e de 40 professores catedráticos para cobrir o défice   nas especialidades de Psicologia, Letras Modernas e Ensino Primário, disse ontem  o director-geral-adjunto para a área académica do estabelecimento de ensino.
Ferraz Malungo falava sobre o recrutamento de novos candidatos para o presente ano académico nos 15 cursos existentes. “O Instituto Superior de Ciências de Educação do Uíge tem-se debatido, desde a sua existência, com várias dificuldades, com realce para a falta de professores nas especialidades técnicas, escassez de quadros nacionais formados em diversos ramos do saber, bem como a insuficiência de salas de aulas”.
O Instituto Superior de Ciências de Educação precisa de melhores   infra-estruturas, de professores à altura para leccionarem os vários cursos, tendo recebido a candidatura de 6.027 estudantes para   920 vagas, sendo 320 para o período pós-laboral.
Comparativamente ao ano lectivo de 2015, Ferraz Malungo informou que houve uma redução de vagas motivada pela insuficiência de salas de aula e a escassez de professores.
O ISCED  possui 29 salas de aulas para cinco mil estudantes e 154 professores, dos quais 135 nacionais, e já lançou 1.050 licenciados no mercado de trabalho.

Tempo

Multimédia