Províncias

Mercado de fronteira foi debatido no Uíge

O governo provincial do Uíge realizou ontem um debate sobre a abertura do mercado fronteiriço de Quimbata,  Maquela do Zombo, a 310 quilómetros a norte da capital da província.

Populações da região fronteiriça de Maquela do Zombo aguardam reabertura de mercado
Fotografia: Jornal de Angola

O governo provincial do Uíge realizou ontem um debate sobre a abertura do mercado fronteiriço de Quimbata,  Maquela do Zombo, a 310 quilómetros a norte da capital da província.
Falando durante a abertura do debate, o governador provincial do Uíge, Paulo Pombolo, assegurou que uma vez aberto o mercado fronteiriço de Quimbata, a província passa a ganhar com as trocas comerciais.
“Se o mercado de Quimbata começar a funcionar,  temos uma fonte de recursos e também vamos responder à solicitação da população do município de Maquela do Zombo que tem percorrido longas distâncias para realizar a actividade mercantil”, disse. Paulo Pombolo apontou a criação de condições para o bom funcionamento do mercado que pode constituir também fonte de receitas para o Estado. Defendeu a necessidade da criação de um grupo de trabalho que se desloque a Quimbata para o levantamento das necessidades, com vista à concretização desse sonho da população, principalmente dos operadores económicos.
O governador apontou também a necessidade da criação de condições de segurança para desencorajar a entrada de imigrantes ilegais no país.
Participaram no debate vice-governadores provinciais, responsáveis das Finanças, Comércio, Hotelaria, Polícia, Forças Armadas, Serviço de Migração e Estrangeiros, Transportes, Justiça, e o administrador de Maquela do Zombo.

Tempo

Multimédia