Províncias

Mesa-redonda no Uíge analisa efeitos nocivos

Nicodemos Paulo | Uíge

A directora provincial da Família e Promoção da Mulher afirmou, ontem, que o consumo excessivo de álcool prejudica muitas famílias do Uíge e é a principal causa de vários males, como violência doméstica e baixa produtividade.

A directora provincial da Família e Promoção da Mulher afirmou, ontem, que o consumo excessivo de álcool prejudica muitas famílias do Uíge e é a principal causa de vários males, como violência doméstica e baixa produtividade.
Emília Fernandes fez a afirmação numa mesa-redonda, pro­movida pela direcção provincial da Família e Promoção da Mulher, que encerrou as jornadas sobre a família. Na mesa-redonda, que teve por tema “família, o lugar de manifestação do verdadeiro a­mor” e reuniu trabalhadores dos sectores da Juventude e Desportos e da Assistência e Reinserção Social e de organizações religiosas e juvenis, foram analisados os factores que concorrem para a desestruturação familiar e para a instabilidade social.
A experiência do dia, disse Emília Fernandes, mostra que o álcool está ligado à ruptura de relacionamentos, à violência doméstica, à baixa produtividade laboral e a acidentes no trânsito.O governador provincial em exercício referiu que “a tranquilidade da família é um pressuposto básico para a estabilidade social” e que, por isso, estão a ser realizadas iniciativas para a promoção da paz e da estabilidade familiar.
Carlos Samba recordou que, a­pesar de aceite pela sociedade, o álcool ocasiona uma série de perigos e que esperava que da mesa-redonda surgisse ideias para dissuadir o seu consumo e de outras substâncias entorpecentes para a­judar a alterar o comportamento social de muitos chefes de família.
O programa das jornadas sobre a família incluiu também debates radiofónicos e palestras em unidades policiais e militares.
“O alcoolismo, um problema de saúde pública”, “políticas públicas para o combate ao consumo excessivo do álcool” e “o papel da sociedade civil na sensibilização dos perigos do álcool” foram alguns dos temas debatidos nas jornadas.

Tempo

Multimédia