Províncias

Milhares de adultos foram alfabetizados

Valter Gomes | Uíge

O chefe de secção para o ensino de adultos da Direcção Provincial da Educação no Uíge, Alberto dos Santos, disse ontem, ao Jornal de Angola, que 40.387 pessoas adultas foram alfabetizadas em 2014, em municípios, comunas e aldeias da província.

O número de idosos interessados em aprender a ler e a escrever tende a aumentar em comunidades da província do Uíge
Fotografia: Dombele Bernardo

Alberto dos Santos, que fazia o balanço das principais actividades realizadas durante o ano transacto, disse que dos adultos alfabetizados, 31.884 são do sexo feminino. A formação, acrescentou, foi facilitada por 752 alfabetizadores. Em relação ao ano de 2013 houve um aumento significativo de adultos interessados em aprender a ler.
O chefe de secção para o ensino dos adultos no Uíge disse que uma das apostas da instituição é a redução do elevado índice de analfabetismo nas comunidades da região. “Queremos que cada um no seu local saiba ler e escrever, para que, em conjunto, possamos contribuir para o desenvolvimento da província e do país”, disse.
 O chefe de secção para o ensino de adultos da Direcção Provincial da Educação no Uíge referiu que, durante o ano passado, a área do ensino de adultos proporcionou formação contínua aos alfabetizadores e professores, que asseguram as aulas.
Durante o ano passado, acrescentou, foram criadas, em 23 escolas, mais turmas para as aulas de aceleração escolar. “A execução do programa ‘Sim, Eu Posso’ e as visitas de supervisão pedagógica nas escolas de alfabetização deram um grande impulso à concretização das metas preconizadas para o ensino de adultos”, realçou Alberto dos Santos.
O chefe de secção para o ensino de adultos da Direcção Provincial da Educação no Uíge informou que para o presente ano lectivo, a aposta da área do ensino de adultos é alfabetizar 65. 288 pessoas na província. A formação é assegurada por 998 alfabetizadores e 16 supervisores.
Para concretizar os objectivos traçados, disse Alberto dos Santos, a área do ensino de adultos vai contar com a colaboração dos directores municipais da Educação, administradores municipais e dos professores que já trabalham no sistema do Ensino de Adultos.
“Durante este ano, queremos primar pela formação de qualidade, para que os alunos, ao terminarem o ciclo do ensino de adultos, não encontrem dificuldades no sistema de ensino secundário”, disse.
O chefe de secção para o ensino de adultos da Direcção Provincial da Educação no Uíge apontou a criação de turmas de alfabetização nas localidades onde não existem e a mobilização de professores como apostas da área de alfabetização, porque a redução do índice de analfabetismo no seio das comunidades constitui a meta principal para o presente ano.
A insuficiência de salas para a alfabetização em algumas localidades da província tem atrasado o processo, uma vez que em muitas aldeias as aulas de alfabetização são ministradas em igrejas e em quartéis militares. “Queremos mais salas apropriadas para a alfabetização, porque em algumas localidades os professores enfrentam dificuldades durante as aulas, visto que muitas vezes a chuva, vento e sol interrompem o trabalho dos alfabetizadores”, referiu o responsável.
Alberto dos Santos apelou aos adultos interessados no sentido de ultrapassarem o preconceito e a ideia de que já não há tempo para estudar, aderindo às aulas de alfabetização, para que saibam ler e escrever. “Estudar não tem idade determinada, basta vontade e dedicação”, concluiu o chefe de secção para o ensino de adultos.

Tempo

Multimédia