Províncias

Milhares de alunos no sistema escolar

António Capitão| Damba

A construção de novas salas nas aldeias, comunas e municípios da província do Uíge, através dos programas de Investimentos Públicos (PIP) e de Combate à Fome e à Pobreza, permitiu que 13.346 novos alunos fossem integrados no sistema normal de ensino, no presente ano lectivo.
A informação foi avançada, na semana finda, pela vice-governadora para o sector Político e Social, Maria Fernandes da Silva, no município da Damba, durante o acto de abertura do ano lectivo 2012.

Governo e parceiros trabalham para reduzir o número de crianças que permanecem fora do sistema de ensino em todo o país
Fotografia: Francisco Pedro

A construção de novas salas nas aldeias, comunas e municípios da província do Uíge, através dos programas de Investimentos Públicos (PIP) e de Combate à Fome e à Pobreza, permitiu que 13.346 novos alunos fossem integrados no sistema normal de ensino, no presente ano lectivo.
A informação foi avançada, na semana finda, pela vice-governadora para o sector Político e Social, Maria Fernandes da Silva, no município da Damba, durante o acto de abertura do ano lectivo 2012.
Com este novos estabelecimentos, o sector da Educação na província do Uíge passou a dispor de 1.137 escolas primárias, do primeiro e segundo ciclos, e do ensino secundário e quatro institutos médios, num total de 3.887 salas. Os institutos médios são o Agrário (IMA), o de Administração e Gestão (IMAG), o Politécnico Manuel Quarta Punza e o de Saúde (IMS).
Maria Fernandes da Silva referiu que o sistema de ensino na província é assegurado por apenas 14.266 professores, número considerado irrisório, tendo em conta as estatísticas efectuadas no sector, que revelam a existência de um défice de dois mil docentes, sendo as comunidades rurais as mais afectadas. 
A vice-governadora do Uíge defendeu a construção de mais salas para facilitar a integração das crianças que continuam fora do sistema normal de ensino e o recrutamento de mais docentes.
“A educação do homem constitui uma das principais prioridades do Executivo angolano e do governo da província do Uíge, tendo em conta os objectivos que se pretende alcançar para o desenvolvimento da região, em particular, e do país, em geral. Está projectada a construção de mais escolas, incluindo um magistério primário, para formar professores qualificados, que vão contribuir para o melhoramento do processo de ensino e aprendizagem”, disse, anunciando a realização de um concurso público para o ingresso de mais professores nos próximos dias.
Maria Fernandes da Silva destacou o contributo das escolas Cor Mariae e da ADPP na formação de docentes qualificados. A governante distribuiu manuais escolares para os alunos do ensino primário do município da Damba e apelou aos encarregados de educação que acompanhem o desempenho escolar dos educandos, com vista a se reduzir o número de faltas nas escolas e elevar o nível de aproveitamento.

Escola D. Afonso Nteka

No município da Damba, a vice-governadora para o sector Político e Social reinaugurou a escola primária número 217, com quatro salas e capacidade para 280 alunos, da iniciação à sexta classe. A infra-estrutura, destruída durante o conflito armado, foi restaurada e apetrechada com carteiras e quadros novos.
A escola, baptizada com o nome de “Dom Afonso Nteka”, homenageia o antigo Bispo da Diocese de Mbanza Congo, que era natural do município da Damba, falecido num acidente de viação, em 1993. O director da escola, Joaquim Lutumba, referiu que as salas reabilitadas vão ser incorporadas às 11 já existentes, para elevar o número de alunos daquela instituição de ensino afecta à Igreja Católica. “Estamos satisfeitos e agradecemos o gesto da administração municipal da Damba, que disponibilizou recursos financeiros para a reabilitação e apetrechamento destas quatro salas, que vão contribuir para a formação académica dos munícipes”, frisou.

Tempo

Multimédia