Províncias

Milhares de famílias ficaram sem abrigo

Valter Gomes | Uíge

Mais de quatro mil pessoas residentes em nove dos 16 municípios da província do Uíge ficaram sem abrigo, em consequência das fortes chuvas que se abateram sobre a região, entre 9 de Outubro e 8 de Novembro deste ano, revelou ontem o chefe da área de Protecção Civil e Bombeiros.

Eduardo André Pereira disse que, no quadro do balanço das principais ocorrências registadas neste período, pelo menos 4.530 pessoas residentes nos municípios de Milunga, Uíge, Negage, Quimbele, Buengas, Damba, Ambuíla, Songo e Quitexe foram afectadas.
O responsável da área de Protecção Civil e Bombeiros do Comando Provincial do Uíge referiu que a chuva destruiu 708 casas, seis escolas, 18 igrejas, dois postos de saúde e igual número de alpendres e de postes de iluminação pública, uma moagem e uma cantina.
O município de Milunga, com o registo de 335 casas destruídas, seis igrejas, um posto de saúde e um campo agrícola, além de 2.099 pessoas ao relento, é, até ao momento, a localidade mais atingida pelas enxurradas.
Para além das casas destruídas, escolas e igrejas, Eduardo Pereira disse que as chuvas provocaram também a erosão de oito ravinas de grande dimensão nos municípios de Milunga, Buengas e do Quimbele.
Em função disso, o responsável da área de Protecção Civil e Bombeiros avançou ser necessário haver maior apoio das instâncias superiores para acudir os sinistrados e travar a progressão das ravinas, sendo que algumas ameaçam interromper a circulação normal de viaturas em determinadas zonas.

Tempo

Multimédia