Províncias

Milhares de jovens procuram vagas no ensino superior

Valter Gomes | Uíge

Jovens inscritos no Instituto Superior de Ciências da Educação e na Universidade Kimpa Vita do Uíge manifestaram satisfação pelo nível de organização do processo de candidatura ao ensino superior.

Nível de organização do processo de candidatura ao ensino superior é satisfatório
Fotografia: Eduardo Pedro

Sandra António Amadeu, 27 anos, que se inscreveu no curso de Geografia, no Instituto Superior de Ciências de Educação, disse ao Jornal de Angola que este ano o atendimento melhorou significativamente. “Está tudo em ordem. O atendimento é rápido. Não há demoras nem complicações”, garantiu.
Outra candidata, Luísa Francisco, 28 anos, está satisfeita com a forma como decorrem as inscrições na Universidade Kimpa Vita. “Vou frequentar o curso de Direito, porque sinto-me motivada para ser jurista e contribuir para a resolução dos vários problemas dos cidadãos que entram em conflito com a lei, além de analisar outras questões ligadas à área onde desejo formar-me”, frisou.
O Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) tem 920 vagas para os interessados em frequentar um dos 15 cursos ministrados na instituição. As inscrições abriram no dia 5 e terminam a 23 deste mês. No acto de inscrição, os candidatos entregam uma fotocópia do Bilhete de Identidade, duas fotografias tipo passe, cópia autenticada do certificado de habilitações do ensino médio, atestado médico e dois mil kwanzas. O talão de recenseamento militar é obrigatório para os jovens do sexo masculino.
O director-geral do ISCED, Domingos Kimpolo, disse que o número de jovens que procuram inscrever-se, num ou mais cursos, é cada vez maior. “Acreditamos que nos últimos dias a 'corrida' será ainda maior, visto que muitos deles enfrentam dificuldades na recepção de certificados de habilitações literárias nas escolas onde terminaram o ensino médio. Por isso, prolongámos as inscrições até ao dia 23 do mês em curso”, disse. O início do ano académico está previsto para 29 de Fevereiro. O director-geral disse que O ISCED necessita de 30 novos docentes, com formação diferenciada ao nível de mestrados e doutoramento, para garantir a qualidade da formação dada aos futuros professores.
A instituição dispõe actualmente de  docentes nacionais e estrangeiros, número insuficiente para servir mais de oito mil estudantes, distribuídos por 15 cursos. “Já formulámos o pedido ao Ministério do Ensino Superior para que, em conjunto, encontremos uma solução. Neste momento, aguardamos que o nosso pedido seja aceite, para assegurarmos da melhor maneira possível a formação das novas gerações”, referiu.
Domingos Kimpolo disse que há docentes que possuem uma carga horária de trabalho muito pesada, por insuficiência de professores para leccionar determinadas cadeiras. “Isso não ajuda o bom funcionamento da instituição. Por isso, estamos preocupados em ver solucionado o problema”, desabafou.
O director-geral reprovou o comportamento menos digno de alguns professores e estudantes envolvidos em actos de corrupção. A propósito, sublinhou que “o saber não se compra, mas exige um empenho pessoal, partilha de ideias e investigação. Por isso, queremos que os professores transmitam aos estudantes conhecimentos sólidos, que possam produzir frutos positivos no futuro”.
Domingos Kimpolo alertou que todos aqueles professores que forem apanhados a fazer cobranças de valores, fora daquilo que a instituição autoriza, serão denunciados e encaminhados às instâncias judiciais competentes, para o devido tratamento do caso.

Mais vagas universitárias

A Universidade Kimpa Vita (UNIKIVI), da VII Região Académica, que compreende as províncias do Uíge e Cuanza Norte, dispõe no presente ano académico de 1.040 vagas para as faculdades de Economia, Direito e Escola Superior Politécnica.
A vice-reitora para a Área Académica e Vida Estudantil da UNIKIVI, Rosa Fernandes, disse que em relação ao ano passado a instituição registou um aumento de 510 vagas.
A universidade é frequentada por cerca de oito mil estudantes, distribuídos pelos cursos de Contabilidade e Gestão, Engenharia Informática, Administração Pública e Informática de Gestão, Direito, Economia, Agronomia, Enfermagem, Análises Clínicas e Saúde Pública. Mais de 300 docentes nacionais e estrangeiros leccionam na instituição.

Novos cursos superiores

A vice-reitora Rosa Fernandes anunciou para o presente ano académico o arranque dos cursos de Medicina e Engenharia. “Queremos também apostar na melhoria do processo educativo, através da formação contínua e apoio pedagógico dos docentes, e continuar a recrutar os melhores estudantes para o seu ingresso na carreira docente e no campo da investigação”, acrescentou.
A Escola Superior Politécnica vai, dentro de dias, entregar os certificados de fim de curso aos primeiros 89 licenciados em Enfermagem Geral.

Tempo

Multimédia