Províncias

Milhares de quilómetros de estradas já recuperados na província do Uíge

Valter Gomes |Uíge

O vice-governador do Uíge para o sector Económico reconheceu haver nos últimos tempos grandes avanços nos sectores social e produtivo, o que permitiu a melhoria das condições básicas da população.

Um ângulo da Centralidade do Quilumosso um projecto habitacional que devolveu a esperança dos jovens ao sonho da casa própria
Fotografia: Mavitidi Mulaza | Edições Novembro | Uíge

Falando num acto de massas na terça-feira, no quadro das comemorações do 4 de Abril, Dia da Paz, Carlos Mendes Samba disse que, apesar das inúmeras dificuldades provocadas pela conjuntura económica, nos últimos 15 anos, foram recuperados milhares de quilómetros de estradas, que permitiram a circulação de pessoas e bens em várias localidades. No quadro do Programa de Habitação Social, em curso no país, foram construídas milhares de residências.
Para o vice-governador, no passado, a população encontrava muitas dificuldades para se  deslocar da cidade do Uíge para Luanda.  O trajecto, acrescentou, fazia-se em dois ou três dias, mas hoje em apenas cinco ou menos tempo, devido aos investimentos feitos na recuperação da estrada, o que demonstra um ganho inegável.   
Em tempo de paz, a província ganhou também uma universidade pública e um Instituto Superior de Ciências da Educação. Ainda no que se refere ao ensino universitário, até 2002, Uíge contava apenas com 1.029 salas de aula, 142.802 alunos e 7.014 professores. Actualmente, com o alcance da paz, passa a contar com universo de 6.759 salas, 514. 725 alunos matriculados e 13.981 professores.Carlos Mendes Samba reconheceu que o Governo tem dado uma atenção particular ao sector da Educação e considerou prioritária a formação do homem, pois  só com pessoas bem formadas será possível potenciar o crescimento  do país, em particular da província.Tal como na Educação, disse, houve grandes ganhos no sector da Saúde, referindo que, em 2002, a província contava apenas com cinco hospitais municipais, 10 centros materno-infantis, 33 centros e 123 postos de saúde. No passado, 1.222 técnicos asseguravam os serviços sanitários.
Nos dias de hoje, o Uíge passou a dispor de 14 hospitais municipais, 22 centros materno-infantis, 67 centros e 255 postos de saúde. A assistência médica e medicamentosa é assegurada por 2.546 técnicos, entre médicos, enfermeiros e pessoal administrativo.
No que se refere à Energia e Águas, destaca-se a implementação de um novo projecto de águas iniciado em 2013, na cidade do Uíge, cuja primeira fase que compreende as 9.400 ligações domiciliárias está concluída. A segunda vai contemplar 10 mil ligações domiciliárias. Na província, foram ainda construídos mais de 140 pequenos sistemas de água em diversas localidades.
O vice-governador para o sector Económico, Carlos Mendes Samba,  disse que para as sedes municipais foi aprovada a construção de novos sistemas de água, cujas obras já arrancaram nos municípios de Ambuíla, Maquela do Zombo e Milunga.
Sublinhou que o restabelecimento da energia eléctrica, abastecida a partir da barragem de Capanda, permitiu o surgimento de novos serviços, como a abertura de fábricas de tijolos, água, colchões e outras no pólo industrial de Negage, estabelecimentos comerciais na sede da província. “Neste momento, as atenções do governo provincial estão centradas no alargamento da rede da distribuição de média e baixa tensão das cidade do Uíge, Negage e Maquela do Zombo e na construção de novas subestações eléctricas para beneficiar outras sedes municipais”, sustentou.

Tempo

Multimédia