Províncias

Mucaba aposta na produção de café e banana

Joaquim Júnior | Mucaba

Mais de duas mil famílias camponesas do município da Mucaba, no Uíge, estão apostadas no alargamento das culturas de café e de banana, considerados na região como um dos produtos de maior rendimento e dos mais solicitados pelos agentes económicos da província, informou na terça-feira, o chefe de secção da Agricultura naquela circunscrição.

Agricultores apostados no alargamento da cultura de banana um dos produtos de maior rendimento e dos mais solicitados pelos comerciantes
Fotografia: Joaquim Júnior | Edições Novembro

Ernesto Joaquim Pedro  disse ao Jornal de Angola que a aposta na produção de banana e de café é a estratégia do município, no âmbito do processo da diversificação da economia, mas lembrou que a região produz também, em grande escala, mandioca,  feijão, amendoim e horticulturas.
No município da Mucaba, os cafeicultores cultivaram 19.143 hectares de café, mas há toda a necessidade de transformar-se o produto, situação que preocupa a sessão da Agricultura na região.
O chefe de secção da Agricultura esclareceu que no município, existiam, durante o conflito armado, muitas fazendas adormecidas, mas, referiu, nos dias de hoje estão a renascer e a recuperar a produção, fruto dos incentivos e do aumento do preço do produto no mercado nacional.
“Pensamos nós que estamos no bom caminho. Nos anos anteriores, a maior parte das fazendas de café encontravam-se sob estado de abandono, porque os cafeicultores não tinham estímulos e os cafeeiros, como são plantas resistentes, mesmo mergulhados em capim renasciam por si, mas acabavam por se estragar, porque não havia ânimo para a colheita", disse, para acrescentar que, com os incentivos, os proprietários destas fazendas retomaram os trabalhos e voltaram a produzir.
Para potenciar a produção do café, o responsável espera encontrar um  suporte financeiro junto dos parceiros privados, em função de um acordo firmado entre o Instituto Nacional de Café (INCA) e a empresa de direito angolano Zicai Grupo, que disponibilizou, até 2015, mais de quatro milhões de kwanzas.
Ernesto Pedro referiu que a política de financiamento no campo do café pela empresa Zicai Grupo ajudou muitas pessoas, desprovidas de força física e de recursos financeiros, a possuírem  meios que lhes possibilitou trabalhar a terra.
Explicou que, além do apoio financeiro, a empresa Zicai GRupo montou, na sede municipal da Mucaba, uma máquina de descasca com capacidade de tirar duas toneladas de café comercial por dia. O município dispõe, desde o tempo colonial, de um depósito com capacidade de armazenar 1.500 toneladas de café.

Diversificação de culturas

As famílias camponesas da Mucaba estão também empenhadas, além da  lavoura de café e de banana,  na plantação de abacateiros e de outras plantas frutíferas, como forma de reforçar a dieta alimentar e reduzir os custos de produção do bago vermelho.
A criação de gado bovino é outro subsector da agricultura, que vai crescendo no município, segundo Ernesto Pedro, que reconheceu que, nos últimos anos, a região passou de três para 17 pecuárias, com mais de 1.000 cabeças de gado apascentados.
Com um universo de 2.639 famílias agrícolas, o município controla 23 associações de camponeses e 67 pequenos agricultores. Na campanha agrícola passada, foram cultivados na circunscrição 10 hectares de diversas culturas.

Tempo

Multimédia