Províncias

Mulheres estão solidárias com crianças de internato

Joaquim Júnior| Uíge

Mulheres de diversas associações filantrópicas e religiosas doaram bens alimentares e material didáctico às crianças e jovens do Lar São José, da Igreja Católica, e do bairro Papelão na cidade do Uíge, acusados de feitiçaria pelos familiares.

Crianças que foram discriminadas e abandonadas pelos familiares hoje são felizes
Fotografia: Jornal de Angola

O acto de beneficência enquadrou-se nas festividades do Dia da Mulher Africana, assinalado na quarta-feira, e contou com a colaboração da direcção provincial da Família e Promoção da Mulher.
Entre os bens entregues ao lar, consta arroz, açúcar, sal, massa alimentar, peixe, sabão e livros. A directora da Família e Promoção da Mulher, Catarina Domingos, sublinhou que a acção visou, também, incentivar os jovens a permanecerem fiéis à aprendizagem da palavra de Deus que recebem no centro, para que futuramente possam servir o país, e a província.  A responsável lembrou que muitas crianças que foram discriminadas e abandonadas pelos seus familiares e, depois, acolhidas no lar eram muito pequenas, mas hoje são jovens que podem contribuir para o desenvolvimento do país.
Valorizou o trabalho desenvolvido pelo centro, que acolhe actualmente 12 rapazes com idades entre 12 e 22 anos, aos quais transmitiu palavras de afecto:  “Sintam-se incluídos na sociedade angolana e podem contar sempre com a solidariedade das mulheres da província do Uíge”, sublinhou Catarina Domingos.
A responsável do Lar, Adriana Capingala, agradeceu o apoio das mulheres do Uíge, referindo que os jovens que se encontram no lar precisam do apoio de todas as pessoas de boa-fé, com orações e visitas, para que possam vir a ser homens formados.

Tempo

Multimédia