Províncias

Município da Damba com mais salas de aula

António Capitão | Damba

O governador do Uíge visitou na Damba o novo complexo escolar, onde vai funcionar um Instituto Médio Politécnico, que permite que os jovens sejam formados, o que reduz significativamente o número de alunos fora do sistema normal de ensino.

Mais escolas do município da Damba foram inauguradas pelo governador Paulo Pombolo
Fotografia: António Capitão | Damba

Paulo Pombolo percorreu todas as dependências do edifício, com 19 salas, cinco laboratórios, biblioteca, salas de reuniões, sala de professores, gabinetes administrativos, internato com capacidade para 129 residentes, lavandaria, ginásio, refeitórios e habitações para o corpo directivo do complexo escolar.
Com a entrada em funcionamento da escola, nos próximos dias, pelo menos 1.350 jovens vão passar a estudar em melhores condições. “Pretendemos transformar esta escola num Instituto Politécnico”, referiu o governador do Uíge.
No município da Damba, Paulo Pombolo visitou a Maternidade Rainha Santa, que foi totalmente reabilitada e apetrechada com equipamentos modernos.
A unidade sanitária, que vai prestar serviços de partos e pediatria, tem 16 camas para acomodar as parturientes e crianças. Vai dispor ainda de uma área de cuidados intensivos, bloco operatório, farmácia, salas de radiologia e hematologia, além de outras dependências de apoio técnico e administrativo. O governador do Uíge visitou também as obras no edifício onde vai ficar a agência do Banco de Poupança e Crédito (BPC), que quando estiver a funcionar vai facilitar as operações financeiras, principalmente dos funcionários públicos, que, neste momento são obrigados a deslocar-se ao município do Negage para levantarem os seus salários.
Paulo Pombolo visitou a futura Loja de Registos que vai permitir obter o registo de nascimento e  o Bilhete de Identidade. Também visitou o bairro onde estão a ser construídas 200 casas sociais, das quais 110 já estão concluídas.
O governador do Uíge defendeu a necessidade da construção  da rede de distribuição de energia eléctrica na nova urbanização. Paulo Pombolo recomendou que as casas concluídas sejam distribuídas o mais depressa possível, no sistema de renda resolúvel.
“Estamos empenhados na criação de melhores condições de habitabilidade, fornecimento de energia eléctrica e água potável, para que estas casas sejam distribuídas à população”, disse.
O processo de distribuição de casas sociais já está em marcha nos municípios de Maquela do Zombo, Bungo, Quitexe, Milunga e Alto Cauale, onde os sistemas de fornecimento e abastecimento de luz e água foram instalados e construídas as infra-estruturas de base, com maior incidência para os trabalhos de arruamentos e de colocação de lancis nos passeios.

Tempo

Multimédia