Províncias

Município dá grandes passos na via da Educação

O sector da Educação no município do Sanza Pombo, província do Uíge, registou avanços significativos durante os 11 anos de paz que o país vive, disse à Angop  o administrador da circunscrição.

Governo Provincial melhora o sistema de distribuição da merenda escolar aumentando a oferta em função do número de alunos existentes
Fotografia: Jornal de Angola

Baptista Bunga frisou que, até 2002, o município possuía menos de 40 escolas construídas de raiz, mas, actualmente, o número triplicou para 122 em pleno funcionamento. Destas, 115 são primárias, 16 do I ciclo e uma do II ciclo do ensino secundário, que funciona na sede do município.
 As escolas primárias e as do I ciclo estão distribuídas pelas comunas de Alfândega, Huamba e Cuilo Pombo.
Em 2002, Sanza Pombo tinha apenas cerca de 652 professores, mas no presente ano lectivo o número aponta para 758, distribuídos pelas diversas escolas, na sua maioria técnicos superiores e médios.
“De acordo com o levantamento que efectuámos há dias, a nível do município necessitamos de mais 200 professores para cobrir as vagas existentes, visto que com o aumento do número de alunos, também a rede escolar está a crescer cada vez mais”, explicou.
Este ano lectivo, foram matriculados 19 mil alunos dos vários níveis do ensino, o que significa um aumento de nove mil em relação ao período anterior à Paz.
Baptista Bunga sublinhou que, a nível do município, 1.750 alunos de ensino primário já estão abrangidos pela merenda escolar. Este número, acrescentou, vai aumentar até ao fim do ano lectivo, uma vez que muitas escolas ainda não receberam as merendas, porque a distribuição está a ser feita faseadamente.
A merenda, afirma o administrador, veio reforçar o aproveitamento escolar das crianças e a permanência de alunos nas instituições escolares. Por isso, o Governo Provincial está a fazer tudo para melhorar o sistema de distribuição da merenda escolar, aumentando, sobretudo, os kits, de acordo com o número de alunos existente em cada município, principalmente os do ensino primário. “A nossa aposta é continuar a incentivar as crianças para a sua permanência nas escolas e o seu melhor aproveitamento”, disse.

Pôr termo aos faltosos

Em contrapartida, reprovou a conduta de muitos professores que, simplesmente, se apresentam um ou dois dias no local de trabalho e acabam por abandonar, em detrimento do aproveitamento de milhares de alunos.  “Vamos cumprir as ordens superiores e já começámos a fazer o levantamento de todos os professores faltosos, para depois encaminhar para o Governo Provincial todas as listas que forem produzidas, para que lhes seja dado o devido tratamento, visto que o Executivo Angolano está apostado num ensino de qualidade”, prometeu.
A administração municipal, em colaboração com os sobas, directores das escolas e outras entidades de direito, criou algumas comissões que foram distribuídas pelas diversas instituições, para fazer o levantamento de todos os professores existentes e faltosos, e as comissões estão a actuar com rigor e responsabilidade, dando a verdadeira resposta a todos aqueles que faltam às respectivas escolas sem a devida  justificação.
A lei estabelece que ao funcionário com 30 faltas em dias úteis sem justificativo seja imediatamente aplicado o auto de abandono. “Por isso”, garante o administrador, “não vamos dar tréguas aos faltosos”.
“O calendário escolar é um documento jurídico e de carácter obrigatório para o seu cumprimento e as aulas retomaram dia 27 de Maio”, recorda, em jeito de alerta dirigido a pais e professores.

Mais salas

O Executivo está apostado no aumento de infra-estruturas para cobrir positivamente a rede de ensino no município, por isso, a administração municipal vai construir mais escolas, em função dos recursos que o Governo põe à disposição do município.
O administrador do Sanza Pombo referiu, ainda, que a administração está a negociar com a Direcção do Instituto Superior de Ciências de Educação (ISCED) no Uíge para, no próximo ano, se abrir um núcleo em Sanza Pombo, com o objectivo de permitir acolher estudantes de seis municípios: Cangola, Quimbele, Buengas, Puri, Milunga e Sanza Pombo.

Tempo

Multimédia